Fisioterapia precoce é essencial no tratamento da Artrite Idiopática Juvenil

A artrite pode até parecer uma doença que só atinge os idosos. Isso porque muitas pessoas confundem a artrite reumatoide com a osteoartrose, uma doença degenerativa crônica que leva ao desgaste das articulações.

A artrite reumatoide é uma doença autoimune que pode, inclusive, afetar crianças pequenas. Quando a doença se desenvolve antes dos 17 anos de idade, é chamada de Artrite Idiopática Juvenil.

Segundo Walkíria Brunetti, fisioterapeuta especialista em RPG e Pilates e com mais de 30 anos de atuação em fisioterapia neurológica e ortopédica para crianças e bebês, a artrite reumatoide é uma doença inflamatória crônica que afeta as articulações e outros órgãos. “É uma doença autoimune em que o organismo causa uma reação inflamatória que atinge, principalmente as articulações”.

Entretanto, outras partes do corpo são acometidas, como a pele, os olhos, o coração, nervos e pulmões. Além disso, estudos apontam um aumento do risco de obstrução das artérias, cuja principal consequência é o Acidente Vascular Cerebral (AVC).

Dor é principal sintoma
“O principal sintoma da artrite é dor nas articulações das mãos, joelhos e tornozelos. Além disso, há inchaço e aumento da temperatura nesses locais, típicos da inflamação. Porém, a dor pode não estar presente na forma juvenil ou ainda não ser tão importante”, diz Walkíria.

“Os pais precisam estar atentos quando a criança apresenta rigidez matinal nas articulações, bem como fraqueza, febre alta (acima de 39º C), sem outra causa, por mais de 2 semanas. O ideal é procurar um reumatologista para uma avaliação”, ressalta a especialista.

Causa desconhecida
Não há uma causa exata para a artrite idiopática juvenil. No entanto, sabe-se que há influência de fatores genéticos e imunológicos. Por se tratar de uma doença autoimune, é preciso levar em consideração fatores que podem desencadeá-la, como o estresse, traumatismos nas articulações e infecções.

Fisioterapia deve ser precoce
Um dos recursos usados no tratamento da artrite juvenil é a fisioterapia. “Os medicamentos visam ao controle da inflamação e da dor. Todavia, a fisioterapia tem um papel fundamental na reabilitação do paciente e pode, principalmente, ser usada para prevenir as deformidades e a perda da função articular”, explica Walkíria.

As deformidades causadas pela artrite, infelizmente, podem incapacitar a criança para atividades diárias, como comer, se vestir, praticar esportes e até mesmo escrever, dependendo da gravidade.

“Por isso, assim que a criança é diagnosticada, deve ser encaminhada para a fisioterapia. Dessa maneira, será possível prevenir danos e mudanças nos padrões de movimento. Outros objetivos importantes da fisioterapia são a melhora do quadro inflamatório, com redução da dor, aumento da força muscular, flexibilidade, amplitude de movimento e capacidade respiratória”, adiciona Walkíria.

Todos esses aspectos são essenciais para a capacidade funcional da criança e para a qualidade de vida em geral.

Comece a digitar e pressione o Enter para buscar