Livro sobre belezas plurais vai gerar doações para o Instituto Maria da Penha e para a Rede Mulher Empreendedora

Publicação lançada por Editora MOL e Marisa tem o objetivo de fortalecer autoestima feminina

“Sofria bullying na escola e, com uns 11 anos, para tentar me enquadrar, comecei a fazer uma dieta. Aos 13 anos, cheguei a pesar apenas 35 quilos. Isso chamou a atenção dos meus pais, que, preocupados, me acompanharam no processo de cura”, conta a cineasta Paula Kim, que coordena o Sobre Nossa Visão Distorcida, projeto para jovens com transtornos alimentares. A história dela e de outras mulheres estão reunidas no livro “Já se amou hoje?”, recém-lançado pela Editora MOL em parceria com a Marisa.

Parte do lucro adquirido com as vendas do livro, excluindo-se apenas impostos e custos de produção, será revertido para o Instituto Maria da Penha, que atua para a consolidação da Lei Maria da Penha (11.340/06) e para a Rede Mulher Empreendedora, que capacita gratuitamente mulheres de todo o Brasil, fomentando a geração de renda por meio do empreendedorismo e da empregabilidade.

A publicação explica que a insatisfação feminina com a aparência não é fruto do acaso, mas produto da socialização e da pressão imposta pela mídia e pela indústria da moda. O objetivo de “Já se amou hoje?” é mostrar como o amor-próprio é revolucionário e oferecer um guia para as mulheres abandonarem a busca desenfreada por padrões estéticos inatingíveis. Para isso, o livro propõe três etapas: repensar o significado da beleza, abraçar a pluralidade e cultivar a autoestima.

O livro cita Naomi Wolf, uma das autoras mais emblemáticas no debate acerca da pressão estética sobre as mulheres. “Os padrões de beleza inalcançáveis desmobilizam as mulheres, consumindo tempo, energia, dinheiro, saúde e sonhos delas. Ao invés de nos aprisionarmos odiando nossas formas naturais e tentando nos enquadrar em modelos de perfeição, poderíamos projetar valores que, de fato, nos trouxessem liberdade e felicidade”, escreveu ela em “O mito da beleza”.

Cada corpo é único e conta uma história

Ao ressaltar como cada corpo é único, “Já se amou hoje?” aborda traços naturais como sardas, cicatrizes e estrias e como eles constituem a individualidade. Há também dicas de filmes, séries e músicas sobre empoderamento feminino e exemplos de mulheres revolucionárias como a médica e pesquisadora Nise da Silveira, a escritora Carolina Maria de Jesus e a arquiteta Lina Bo Bardi.

“Este novo trabalho em parceria com a Editora Mol reflete exatamente a mensagem que a Marisa busca transmitir para suas consumidoras. Temos como propósito de marca fortalecer a autoestima da mulher, para que ela possa se expressar da forma que quiser, valorizando toda a sua pluralidade e a diversidade de todos os corpos e belezas. Estamos muito orgulhosos por mais este trabalho com a MOL, que vai continuar impactando milhares de mulheres pelo Brasil”, afirma Erika Petri, Diretora de Recursos Humanos e Sustentabilidade da Marisa.

Com tiragem de 84 mil exemplares, o livro possui informações, atividades e histórias inspiradoras por meio da pluralidade da beleza, estimulando o autoconhecimento, auxiliando no resgate da confiança e das potencialidades das mulheres. O projeto será vendido nos caixas de todas as lojas físicas Marisa a partir de 15 de julho e custará R$ 4,95. Também será possível adquirir pela internet na Banca do Bem, loja oficial da MOL.

Ficha técnica
Título: “Já se amou hoje?”
Sinopse: O amor-próprio é revolucionário. Não tem receita mágica. Para se amar mais, é preciso mergulhar em um longo processo de autoconhecimento e viver intensamente quem se é. Neste livro, você encontra o passo a passo para abandonar os padrões, se inspirar em mulheres incríveis e encontrar sua melhor versão!
Formato: 13,3 x 19 cm, 72 páginas
Tiragem: 84 mil exemplares
Preço: R$ 4,95

 

Comece a digitar e pressione o Enter para buscar