4 usos do botox na saúde que você não conhecia

Cirurgião dentista especialista em harmonização facial explica quais as vantagens da toxina para distúrbios no sistema nervoso

O botox vem se tornando figura marcada cada vez mais no mundo da estética. Desde que caiu no gosto popular nos anos 2000, a substância só vem reunindo mais adeptos, o que gerou, em pouquíssimo tempo, uma melhora muito grande na tecnologia e nas técnicas usadas desde então.

Quando pensamos na toxina botulínica, imediatamente nossa mente vai para retirada das rugas e controle do envelhecimento. Mas, pouca gente sabe que o botox também é muito importante para pessoas que lidam com certos problemas de saúde.

“Claro, a maior parte das pessoas procuram o tratamento para corrigir rugas e marcas de expressão,” comenta Dr. Willian Ortega, cirurgião dentista e professor especialista em preenchimentos faciais. “Mas o botox também vem se tornando revolucionário em certas condições que eram muito difíceis ou até impossíveis de se resolver no passado,” explica.

Não pense também que são distúrbios raros ou super incomuns, mas sim relacionados aos nervos e músculos da face, que vem ganhando mais atenção e soluções em anos recentes. “A toxina botulínica é um produto bacteriano naturalmente utilizado como um bloqueador neuromuscular, o que ajuda em muitas sequelas relacionadas a problemas no sistema nervoso.”

Para explicar melhor, Ortega pontua 4 situações em que o botox auxilia na saúde:

  1. Paralisia de Bell

A paralisia de Bell pode parecer rara, já que não é muito comentada, mas afeta cerca de 80.000 pessoas por ano no Brasil. Uma infecção viral, mais comumente a herpes, chega aos nervos do rosto, paralisando e desfigurando uma metade da face.

O botox bloqueia estes impulsos nervosos, relaxando o rosto, devolvendo o seu estado natural simétrico.

É uma terapia essencial no tratamento da paralisia, ajudando nas dificuldades psicológicas causadas pela doença, que afeta profundamente a autoestima, principalmente quando ficam sequelas após a cura.

Foi o caso de uma das minhas pacientes, a influencer Dainara Pariz, que documentou o processo nas redes sociais.

  1. Espasmos faciais

O espasmo hemifacial é uma condição neurológica que ocorre por alguns motivos, como a idade, hipertensão arterial, sequela da paralisia facial ou até por conta de um AVC, causando contrações involuntárias no rosto.

A toxina botulínica aplicada nestes músculos afetados vai paralisar os espasmos. Esse foi o primeiro uso do botox, inclusive, antes de ser usado na estética, começando nos anos 80.

  1. Cefaleia tensional

Quem sofre com cefaléia tensional, ou seja, dores de cabeça intensas e constantes, sabe o quão terríveis e incômodos podem ser os episódios com a dor, muitas vezes tornando a pessoa afetada incapaz de prosseguir com tarefas do dia a dia.

Já que o distúrbio é relacionado à tensão nos músculos da face e pescoço, realizando aplicações do botox na testa, têmporas e laterais da nuca, pode-se encontrar uma melhora muito significativa. Por isso, neste caso, é considerado um tratamento de alta eficácia.

  1. Bruxismo

O ato de ranger e apertar involuntariamente os dentes afeta cerca de 40% da nossa população, e pode levar a perda de dentes, distensão da mandíbula e fortes dores de cabeça.

Aplicamos a toxina nos músculos de mastigação, o que vai relaxar a região, diminuindo o movimento de contração, ajudando muito na qualidade de vida de quem sofre com o problema.

Mas, quando o bruxismo está atrelado ao estresse, o botox é apenas um paliativo. Sempre recomendo a meus pacientes também recorrer a ajuda psicológica e fazer algumas mudanças de hábitos nestes casos, para encorajar o relaxamento da mente.

Comece a digitar e pressione o Enter para buscar