Equilíbrio energético. Por que é tão importante?

Por Elaine Santos

Nos últimos anos, palavras como energia, vibração, frequência começaram a ser mais ouvidas no nosso cotidiano. Em qualquer lugar hoje ouvimos alguém falar de energia – “aquele lugar tem uma energia maravilhosa, aquela pessoa tem uma energia negativa”. 

A física define energia como “todo agente capaz de produzir trabalho” e cada tipo de energia possui características próprias, como intensidade, potência, densidade, polaridade e outras. Mas existe outro tipo de energia que ainda é vista com muita desconfiança pela ciência – as chamadas energias sutis. Tudo aquilo que não podemos ver, ouvir ou tocar é energia sutil e está presente em nós seres vivos e faz parte da nossa consciência. 

Os seres vivos possuem bioeletricidade e biomagnetismo e todos estão envoltos em um campo eletromagnético ou campo áurico que reflete energeticamente nosso estado interior. É o que chamamos de aura. Tudo o que sentimos, pensamos e vivemos emite uma frequência energética específica e quanto mais ampliado e expandido for nosso campo eletromagnético, mais alta e forte será nossa frequência vibracional, maior será nossa aura, nossa luz. E quanto melhor for nossa vibração, mais energia vital teremos. 

Mas vamos todos concordar que ter uma vida equilibrada é muito, mas muito difícil. Mas não é impossível. Muito fala-se em equilíbrio interior, equilíbrio emocional, mas e o equilíbrio energético? É tão importante quanto e a maioria das pessoas não se ligam nisso. Ele está diretamente ligado ao nosso bem-estar e a nossa qualidade de vida.  

Vários fatores influenciam nossa energia, como a alimentação, o estresse, o ambiente em que vivemos, nossos pensamentos. Muitas coisas podem desequilibrar nosso campo eletromagnético e diminuir nossa frequência vibracional.

Pensamentos e sentimentos negativos, medo, frustração, relações sociais, familiares e afetivas que não são saudáveis, resistir ao fluxo natural da vida, deixar o autocuidado de lado, tudo isso acaba “roubando” nossa energia e provocando diversos sintomas no corpo físico. E isso é muito fácil de identificar. A pessoa fica mais irritada, tem mais vontade de chorar, sofre com insônia, se sente muito cansada, perde o apetite, pode ter falhas de memória e sente muita angústia e tristeza. 

Mas afinal, como podemos aumentar nossa energia, fortalecendo nosso campo e aumentando nossa frequência?

Para manter os dois lados da balança equilibrados é preciso ter uma rotina de hábitos saudáveis, pensamentos positivos, relações afetivas equilibradas, se conectar mais com a natureza, vibrar no amor e praticar a gratidão sempre. 

Mas alcançar tudo isso sozinho é difícil, por isso podemos e devemos procurar ajuda e pra isso existem as terapias energéticas. Várias terapias integrativas trabalham as energias do corpo físico e dos corpos sutis melhorando nossa interação com o todo. Terapias como Reiki, cromoterapia, radiestesia, terapia dos cristais, florais, aromaterapia e várias outras técnicas aliviam os sintomas e incômodos físicos e emocionais trazendo equilíbrio e bem-estar.

Nos próximos textos eu vou falar mais sobre cada uma dessas terapias vibracionais e seus benefícios. Mas por enquanto, volta um pouquinho aqui no texto e reflita sobre o que você está fazendo que está roubando sua energia e o que você pode fazer pra melhorar.

Comece a digitar e pressione o Enter para buscar