Então é Natal…

Por Jocely Burda

O clima dos próximos dias será de alegria, luzes, enfeites e desejos de um Feliz Natal, e com isso teremos uma semana de expectativas, confraternizações, reflexões, proximidades, e também de corre-corre para deixar tudo muito organizado e perfeito para receber os parentes e amigos ou para participar de eventos de família. Ahhh, e não esquecer de ninguém. O esquecer tem sentido do grande presente, da lembrancinha, do prato na mesa, da mensagem no Whats, da ligação, da passadinha na casa de alguém, da vela em memória e assim por diante.

Isso tudo parece muito bonito, mas é uma ilusão acreditar que tudo sairá 100% e todos os nossos problemas e dificuldades deixarão de existir, e agora todos serão completamente felizes e repletos de harmonia. Na real, isso não acontece, pois somos humanos e humanos tem dificuldades diárias. Lembro de uma família, conhecida desde a minha infância, que estava tudo preparado para a ceia de Natal e que na tarde do dia 24 de dezembro um dos filhos avisou que não iria ao evento, alegando que estava sem vontade de ir, fato que causou um enorme desconforto e tristeza em todos e o pior é que depois deste fato houve uma cisão na família e nunca mais foi a mesma.

Lembrei-me deste fato há pouco quando ouvi um debate, numa rádio de alcance nacional, em que o tema era relacionamento familiar nesta época de Natal, em que a colocação foi mais ou menos assim: ninguém tem obrigação de participar das festas da família, mas deve estar preparado para as consequências de sua decisão. Isso me fez pensar em tantos momentos que sentimos aquelas aflições que não gostaríamos de estar num determinado lugar, mas se não estivermos as consequências, muitas vezes, podem ser irreversíveis, como no caso da família citada acima. Família é assim, altos e baixos, alegrias e tristezas, comemorações, coração apertado, boas ações, conquistas, gratidão etc. Deixar de lado as desavenças e conflitos, interagir, estar próximo, relevar e até mesmo agradecer, tudo em busca da harmonia, mas nunca esquecendo e deixando de lado a individualidade, o respeito a si mesmo e o seu próprio bem-estar.

Desejo que neste Natal você tenha momentos de alegria, paz e amor. Que desfrute cada momento com imensa compreensão, harmonia e encanto que este período proporciona, e acima de tudo não esqueça do verdadeiro significado: o nascimento do Menino Jesus. Deixo aqui um pequeno poema de Cora Coralina como dica para a semana e votos de um Feliz Natal:

Enfeite a árvore de sua vida com guirlandas de gratidão!

Coloque no coração laços de cetim rosa, amarelo, azul, carmim.

Decore seu olhar com luzes brilhantes estendendo as cores em seu semblante.

Em sua lista de presentes em cada caixinha embrulhe um pedacinho de amor, carinho, ternura, reconciliação, perdão!

Tem presente de montão no estoque do nosso coração e não custa um tostão!

A hora é agora!

Enfeite seu interior!

Jocely Burda, psicóloga, especialista em RH e professora na Estácio Curitiba

Comece a digitar e pressione o Enter para buscar