Mamãe Desobediente – Um olhar feminista sobre a maternidade

Escrita por Esther Vivas, a obra - lançada no Brasil pela Editora Timo – defende que a maternidade seja feminista e abraçada por políticas públicas

Logo no prefácio do livro Mamãe Desobediente – Um olhar feminista sobre a maternidade, lançamento da Editora Timo no Brasil, a autora Esther Vivas reivindica: “precisamos de um feminismo que abrace a maternidade. A maternidade entendida como o direito de nós, mulheres, a decidirmos sobre o nosso corpo, direito ao aborto, direito a ficarmos grávidas quando desejarmos, direito a decidirmos sobre a gravidez, o parto e o aleitamento, de criarmos e ter vida própria além da criação. Eis aqui essa maternidade feminista e desobediente que tanta falta nos faz”.

Essa é a intenção da autora com o livro, quando traz à tona temas tão importantes para as mulheres que são mães e que sofrem as pressões de escolher entre uma “maternidade patriarcal”, sacrificada, ou uma “maternidade neoliberal”, subordinada ao mercado. O objetivo de Mamãe Desobediente é ainda contribuir para pensar a maternidade a partir de uma perspectiva feminista, “apelando para uma maternidade desobediente à estabelecida pelo sistema. Valorizar e visibilizar a importância da gravidez, do parto, da amamentação e da criação da reprodução humana e social, e reivindicar a maternidade como responsabilidade coletiva, na baliza de um projeto emancipador”.

Mamãe Desobediente é um ensaio sociológico e jornalístico, com referências literárias e resgate da história da maternidade ao longo do tempo, com toques da experiência da própria Esther como mãe e ativista, e depoimentos de várias mulheres e profissionais da saúde. O livro foi lançado na Espanha em 2019 e já está em sua 11ª edição. Em 2020, a obra foi publicada em vários países da América Latina, como Argentina, Chile, Colômbia, Uruguai, Bolívia e México e, agora, chega ao Brasil pela Editora Timo.

“O texto da Esther me chamou muita atenção pelo debate envolvendo maternidade, feminismo e política, os efeitos do patriarcado (que nos ajuda a compreender a ausência dos pais em casa, acompanhando o crescimento de seus bebês), a ambivalência da maternidade e, no final do livro, minha parte preferida: a amamentação”, conta Ana Basaglia, publisher da Editora Timo.

O LIVRO

Mamãe Desobediente está dividido em três partes: Maternidades em DisputaMeu parto é meu; e O peito é o leite. “Eu abordo um amplo leque de temas, normalmente silenciados, como os problemas de infertilidade, a dor de uma perda gestacional, a violência obstétrica, a depressão pós-parto, a impossível conciliação ou as dificuldades de dar de mamar na sociedade atual, entre outras questões”, diz a autora. Ela também traz reflexões sobre o ser mãe hoje, como a culpa das mulheres de ter que combinar dois empregos (doméstico e profissional), a não ser a mulher perfeita que se espera dela, as empresas que impedem a mulher de ser livre na escolha da amamentação; além dos médicos homens que orientam o parto da mulher, morte fetal e muito mais.

SOBRE A AUTORA

Esther Vivas é jornalista, socióloga e escritora e mora em Barcelona. Sua área de atuação envolve a maternidade feminista, as políticas agroalimentares e a análise política. Escreveu vários livros sobre esses temas, entre os quais se destacam O negócio da comida (2014), publicado no Brasil, Planeta indignado (2012), En pie contra la deuda externa (2008), Supermercados, no gracias (2007) e Adónde va el comercio justo? (2006). Depois que virou mãe, em 2015, passou a escrever sobre maternidade, parto, violência obstetrícia e aleitamento materno a partir de uma perspectiva feminista e ecologista.

O livro Mamãe Desobediente está disponível no site da Editora Timo: www.editoratimo.com.br.

Comece a digitar e pressione o Enter para buscar