Guia rápido de sobrevivência na internet – Afina Menina

Guia rápido de sobrevivência na internet

A especialista em redes sociais Mikie Magnere elaborou um dicas práticas para entender tudo que acontece no universo digital e como alavancar seu negócio durante a pandemia

Mais do que nunca as pessoas estão grudadas em seus computadores, tablets e smartphones. “Devido a pandemia do novo coronavírus, com as pessoas mais tempo em casa e fazendo praticamente tudo pela internet, é natural que as pessoas estejam cada vez mais presentes nas redes sociais. Seja consumindo ou produzindo conteúdo, comprando ou vendendo produtos ou serviços, o fato é que o digital veio para ficar na nossa vida”, afirma Mikie Magnere, especialista em redes sociais.

Reels vs Tik Tok

Mais uma vez o Facebook, empresa que controla o Instagram e WhatsApp, não se envergonhou em copiar um concorrente. Assim como aconteceu com o Snapchat, que teve seu conceito copiado pelo Instagram Story, a rede social chinesa de edição e compartilhamento de vídeos rápidos Tik Tok é o concorrente copiado da vez.

O Reels, a nova funcionalidade lançada pelo Instagram para conter a evasão de usuários para o Tik Tok. “A principal vantagem do Reels em relação ao concorrente chinês é que você não precisa baixar um novo aplicativo e criar uma outra conta para usá-lo, pois já está integrado ao Instagram. Assim, empresas que já usam o Instagram como plataforma de vendas, o Reels acaba sendo mais uma ferramenta de apresentação de produtos em formato de vídeo. Além disso, a rede social americana privilegia os usuários que aderem primeiro às suas novas funcionalidades com um maior alcance orgânico”, analisa Mikie Magnere. Dessa forma, torna-se mais vantajoso para uma empresa permanecer no Instagram pelo mix de ferramentas como feed, story, IGTV, lives e o próprio Reels.

Outra polêmica que envolve o Tik Tok é a tentativa do governo americano de proibir o aplicativo chinês de operar no país. Segundo o Mike Pompeo, secretário de Estado dos Estados Unidos, a proibição está baseada na suspeita de que esses aplicativos roubam dados dos norte americanos e repassam para o Partido Comunista da China. “Qualquer rede social capta informações dos usuários, então isso não é uma exclusividade do Tik Tok. Na minha opinião, essa decisão de banir o aplicativo chinês dos Estados Unidos parece ser mais uma animosidade do governo americano com a China e não uma real preocupação com a segurança dos dados da população estadunidense”, comenta Mikie.

Veja mais  Dia do orgasmo: 55% das brasileiras não chegam lá

Lives

As transmissões ao vivo pela internet se consolidaram durante a pandemia. Muitas pessoas, famosas ou não, se sentiram confiantes em abrir a câmera do smartphone ou do computador. Os motivos para abrir uma sessão de vídeo ao vivo podem ser os variados. Receber convidados, se aproximar de clientes e até atender a compromissos sociais são alguns dos mais frequentes. Inclusive, as lives têm sido uma válvula de escape para solidão e opção de entretenimento durante o isolamento social.

Com exceção do Instagram, que só permite lives entre duas pessoas simultaneamente, outras plataformas como Facebook, Youtube e LinkedIn permitem transmissões ao vivo com múltiplos usuários simultâneos. Porém, para isso é preciso estar conectado com alguns parceiros como o ZOOM, uma das ferramentas mais utilizadas no momento. Mas, existem muitas outras ferramentas gratuitas e pagas que podem ajudar na realização de transmissões simultâneas com múltiplos usuários.

Para finalizar,  Mikie Magnere garante que as lives são um recurso excelente para aumentar o engajamento, ativar gatilhos mentais de urgência e exclusividade, entregar conteúdo de valor, além de ter baixo custo e gerar leads.

Capriche na bio do Instagram

A bio de uma conta no Instagram funciona como um cartão de visitas, por isso manter as informações atualizadas é fundamental. “Primeiro de tudo, escreva o que você está oferecendo e para quem. Depois, escolha as palavras chaves que mais combinem com seu negócio. Utilize os emojis. Convide o usuário a realizar uma ação como entre em contato ou compre online e não esqueça de colocar um link para contato que pode ser de WhatsApp, um site ou e-mail e informe sua localização”, ensina Mikie Magnere.

Utilize alguns truques para converter seu número de WhatsApp em um link usando o Convertte e criar uma página com todos os links de contato usando o LinkTree. “Como o Instagram permite incluir apenas um link na bio, utilizar esses recursos pode ser bem interessante para seu negócio”, explica.

Cartão de visitas impresso ou digital, eis a questão

Com a virtualização do mundo, muitas pessoas têm se tornado adeptas do cartão de visitas digital. “Apesar do cartão de visitas digital  ser uma tendência no mundo atual, o cartão de visitas impresso ainda tem seu espaço. Ele ainda trás bastante força e transmite solidez para o negócio, principalmente quando tem um design bem feito, um acabamento de impressão perfeito. Além disso, as pessoas podem perder facilmente o histórico de mensagens e os contatos do WhatsApp e com isso perder seu cartão digital. Por isso, o cartão físico ainda é uma boa opção para não ser esquecido pelo seu cliente”, recomenda Mikie Magnere. Outra dica da especialista é incluir um QR Code no cartão impresso que direcione para um site ou para outro link que seja interessante para seu negócio.

Veja mais  7 dicas para ter sua própria horta em casa ou apartamento

Como manter a estratégia online

Você já deve ter ouvido aquela a velha máxima do provisório que virou definitivo. Pois bem, as mudanças impostas pela necessidade de combate ao novo coronavírus que pareciam pontuais, parecem que irão se estender por tempo indeterminado. Há mais de cinco meses com escolas e outros serviços fechados ou operando com horários e capacidade reduzidos, explorar todos os recursos disponíveis na internet virou questão de sobrevivência.

De acordo com a especialista em redes sociais, Mikie Magnere, todos os serviços adicionais criados e adaptações feitas em seu negócio vieram para ficar. “Certamente muita gente, mesmo depois que a pandemia passar, vai ficar dependente da conveniência e facilidade de estar em contato direto com as empresas pelas redes sociais, pedir comida pelo aplicativo, receber a mala de roupa em casa. Além disso, serviços tradicionais que foram impactados e tiveram que recorrer ao virtual ou a prestação à domicílio devem continuar com sua estratégia, principalmente nas redes sociais. É importante deixar essa porta sempre aberta e postar sobre o propósito de seu negócio e os bastidores de como foi essa adaptação toda para você e sua empresa. Esse momento também é propício para movimentar o emocional das pessoas”, finaliza.

 

Fonte: Assessoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *