Mãe e filha sócias há 19 anos dão dicas para quem deseja empreender na quarentena

Dóris e Monique Abrantes, empresárias da D.A. Gastronomia falam sobre empreendedorismo familiar

 

Inspiração de mãe para filha, soma e crescimento de filha para mãe. Não importa a ordem como possam acontecer as coisas, mas, Dóris e Monique Abrantes, mãe e filha, buscaram inspiração e força mútua em seus negócios e somam uma a outra. Em tempos de quarentena onde muitos estão juntos de seus familiares repensando a vida, que tal conhecer a história desta dupla e se inspirar em oportunidades, que podem estar diante dos seus olhos.

 

Imagine ter a sorte de poder empreender junto de alguém que amamos? Nossa mãe.

Esse é o caso de Monique, que cresceu vendo a mãe, Dóris, uma mulher de fibra e guerreira, investir dinheiro e energia nos negócios. Sua admiração pela dedicação da mãe se transformou em vontade de seguir seu exemplo. E, porque não trabalharmos juntas, pensou.

 

“Minha mãe começou a trabalhar com eventos quando se aposentou, era professora de história, mas sempre foi expert em organizar as festas da família. Comecei com ela ainda quando era adolescente, quando ela abriu a D.A. Gastronomia. Fui fazer faculdade e me formei em jornalismo. Comecei a trabalhar na área, mas trabalhava nas festas nos finais de semana. Resolvi fazer MBA em Marketing Empresarial, o que foi muito útil para o negócio. Quando minha filha nasceu, decidi deixar o meu emprego fixo para dedicar mais tempo para ela e, também, unir forças com minha mãe para profissionalizar o negócio da família”.  

 

E quem acha que misturar trabalho com relação familiar de mãe e filha pode dar errado, engana-se. Segundo Dóris, a intimidade e parceria cultivadas ao longo dos anos só acrescentam na qualidade do trabalho. A empresa, ainda conta com o reforço de outro membro da família e também sócio, o segundo filho de Dóris, Arthur, no setor financeiro.

 

“Acredito que o amor de mãe é o mesmo amor que temos pelo negócio. No começo até tivemos um choque de gerações e, às vezes, discordamos em alguns pontos. Mas, na verdade, isso é muito saudável, pois assim conseguimos equilibrar experiência com inovação. Respeitamos os pontos fortes de cada personalidade. Acho que por isso que dá tudo tão certo”

 

Monique, avalia toda a experiencia acumulada ao longo dos anos, e sabedoria e jogo de cintura adquiridos na relação das duas. A profissional de marketing, quando faz um balanço, se alegra da decisão que tomou por somar ao negócio de sua mãe. E, para quem está pensando em se aventurar no empreendedorismo, abrindo algum negócio junto de sua mãe, ou algum outro componente da família, ela dá algumas dicas para quem está pensando em unir forças com a família e dá algumas dicas:

1 – Saiba ouvir: Dica de ouro em qualquer relação. É preciso sempre ouvir as pessoas, para então entende-las;

2 – Entre no universo do outro: As vezes, no relacionamento não só entre pai/mãe e filhos, como na sociedade em si, tendemos a querer ter nossas razões e somos inflexíveis. É preciso compreender o outro lado e então, ponderar qual seja a situação. Nem sempre temos razão;

3 – Aprenda a partilhar: minha mãe, é dessas bem mãezona, cuida de todos com carinho. Mas, tanto ela como eu, aprendemos que não podemos ter o controle de tudo, e com isso crescemos;

4 – Divida as tarefas: muitos filhos, quando na criação são bastante mimados, acabam deixando tudo na mão dos pais e não querendo assumir responsabilidades. Se deseja optar por um trabalho em família, aprenda a assumir a sua parte;

5 – Separem os papeis: é muito importante, quando se tem um negócio familiar, ainda mais neste momento em que muitos estão trabalhando em casa, saber conciliar o tempo e o relacionamento. Quando se está trabalhando, está trabalhando, mas, é fundamental ter a relação de amor, e manter os momentos em família, sem falar de trabalho, para manter uma vida saudável.  “Tem pessoas que são extremistas e acabam só pensando em trabalho, outras se ofendem quando são repreendidas ou quando não compartilham do mesmo pensamento. Ai, pode dar confusão”, brinca rs.

Ela finaliza contando que é importante manter o diálogo e criar acordos entre os envolvidos.

“Temos uma rotina de almoçar juntas todo domingo e nosso acordo é não falar de trabalho. Só mesmo curtir o dia de descanso e a família. “

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *