Cartas para Lígia

Lígia Romani

A Lígia entrou na minha vida quando eu ainda era criança, mas eu mal sabia que ela se tornaria a minha melhor amiga e uma das pessoas mais importantes da minha vida, perdendo o posto apenas para o meu pai.
A Pimentinha, baixinha, de opiniões fortes, foi casada com meu primo, uma união que se desfez, mas que deixou dois frutos. Tempos depois, as redes sociais promoveram nosso encontro, e dali por diante, viajamos juntas, sorrimos e choramos, compartilhamos momentos que carregarei comigo e que tenho certeza, Lígia levará com ela pela eternidade onde habita hoje...
Apresentei a Lígia ao máximo de pessoas que pude, não para que ela as conhecesse, mas para que as pessoas a conhecessem, porque ela é ímpar. As pessoas tinham que conhecer aquela baixinha, a nossa pequena gigante! Não era possível existir alguém que amasse tanto a vida e o por do Sol como a Lígia. Não existe ninguém mais positivo e animado que ela, mais incentivador.
Pra Lígia, não tinha tempo ruim, e não era uma palavra que raramente esteve em seu vocabulário, e muitas vezes, para agradar aos outros, ela sofreu calada, ela abdicou de coisas que gostava, se deixou em segundo plano.
A Lígia não era desse plano...
E um dia, Deus resolveu que precisava mais dela do que a gente... O exército dos céus precisa de reforço, e como ela nunca dizia não, atendeu prontamente à convocação.
Nunca ficamos mais do que dois dias sem nos falarmos, e como ela sabia tudo a meu respeito, faço desse espaço o meu caderno de boas memórias e desabafos para que ela permaneça sempre e para sempre no meu coração.
E se você não conheceu a Lígia, seja bem-vindo! Essa é a oportunidade de saber um pouco quem foi essa pessoa tão fantástica que passou por esse plano.