Não queira colher flores, se você deixa espinhos

por Jocely Burda

Recentemente,  presenciei uma situação que me proporcionou refletir, e muito, sobre o quão necessário é plantar flores ao invés de jogar espinhos pelo caminho. Lembrei-me do historiador Leandro Karnal que num de seus textos destaca a importância de utilizar algumas palavras “mágicas” para a boa convivência como “por favor, obrigada, com licença e desculpe-me”, elas não me tornam o centro das atenções, pois sugerem a existência de outras pessoas além de mim.

Também lembrei-me de atitudes do dia a dia e me perguntei como é possível ter classe, as vezes até fazer curso de etiqueta social, mas não saber tratar as outras pessoas. Agir corretamente no meio social é relativamente fácil, exemplos como comporta-se numa mesa, falar baixo, sorrir enquanto o outro fala, vestir-se adequadamente conforme o ambiente e tantas outras, mas o difícil é respeitar o mundo ao seu redor, ceder um lugar em transporte público para uma pessoa que necessite, respeitar uma fila, dar espaço no trânsito, fugir de indelicadezas, cumprimentar as pessoas que lhe servem, chegar no horário marcado, etc. Tudo isso gera um poder multiplicador e suscita amabilidade, pois gentileza gera gentileza.

Há pessoas que estão preocupadas em julgar as atitudes de outras pessoas, acreditam que somente o que elas falam e pensam é a verdade absoluta e não toleram as diferenças, assim comentando o que acreditam ser verdade em sua concepção. Aqui destaco uma frase do criador da psicanálise Sigmund Freud, que em outras palavras, ele comenta sobre a forma como tratamos as pessoas, falar mais de nós mesmos do que delas, mesmo quando recebemos uma indelicadeza, pois o retorno revela como as coisas acontecem dentro de nós. Então, reconhecer quando estamos errados, quando agimos com indelicadeza, quando espalhamos a ingratidão proporciona irradiar amor, alegria, esperança e harmonia, isso trará uma frequência positiva e atrairá também pessoas com esta energia e certamente mudará nosso ambiente.

Distinguir o que se faz de bom para os outros e para você, que vai retornar em beneficio seu mesmo. Ser grato por tudo que te cerca e ter atitudes do jeito que você quer ter por perto é a dica, pois muitos de nossos problemas acontecem devido a forma que os enfrentamos. A vida retribui tudo o que deixamos pelo caminho, como esperar gentileza se proferes aspereza?

Por tudo isso, não jogue espinhos pelo caminho, pois você poderá voltar por ele!

Jocely Burda, psicóloga e especialista em Recuros Humanos, e professora na Estácio Curitiba

Comece a digitar e pressione o Enter para buscar