Como lidar com a queda capilar durante o pós parto e menopausa? Especialistas comentam tratamentos e causas

Desde a gestação até o puerpério, a mulher passa por diversas alterações hormonais, tendo a queda capilar como um dos principais efeitos colaterais.

O Dr Ronaldo Borges (@drronaldoborges), médico anestesiologista e tricologista, especialista em medicina capilar, indica os melhores tratamentos para os cabelos. Alterações hormonais em mulheres em “fases da vida mãe”, vão afetar a quantidade de fios e até a hidratação natural dos cabelos.

O Eflúvio Telógeno no pósparto, popularmente conhecido como queda de cabelo pósparto, é uma condição que geralmente tem início por volta de 3 meses após o nascimento do bebê. Essa queda acentuada de cabelo, é resultado das alterações hormonais que a mulher sofre no período da amamentação.

Além do pós parto, o médico tricologista e atuante em dermatologia, Dr. Misael do Nascimento (@dr.donascimento),ressalta que durante a menopausa, a mulher também sofre uma diminuição de estrogênio pelo ovário, provocando a queda nos níveis de colágeno, que é o principal agente que mantém os cabelos saudáveis.

O médico tricologista apontou alguns tratamentos capazes de burlar ou tratar a queda capilar repentina:

Microagulhamento – Em alta nos dias atuais, devido a queda capilar pós covid, a técnica conhecida como MMP Capilar se trata de um método que através de microagulhas, deposita medicamentos, vitaminas, fatores de crescimento diretamente no local onde ocorre a queda capilar. O microagulhamento capilar tem se mostrado mais eficaz nas áreas frontal e coroa. Para as entradas e redução de testa, recomenda-se recorrer ao transplante capilar.

Intradermoterapia – Procedimento contém a progressão da calvície (alopecia androgenética), controla e reduz a queda dos cabelos, estimula o nascimento de novos fios, acelera o crescimento dos cabelos, restaura e melhora a estrutura da haste capilar e aumenta a densidade e o volume dos fios.

Ledterapia – Indicado para queda de cabelo, fios finos e alopecia, utiliza luzes para estimular a oxigenação do couro cabeludo , aumentando a densidade e estimulando o crescimento dos fios. Além disso, a LEDterapia realiza a bioestimulação, provocando a interação da luz com as células, estimulando o aumento da produção de colágeno e elastina.

Segundo o Dr. Ronaldo, esses tratamentos não são feitos em salão, apenas em consultórios especializados, já que se trata de tratamentos profundos para queda capilar que a maioria das mulheres tem.

Comece a digitar e pressione o Enter para buscar