Cigarro x harmonização facial: especialista explica prejuízos que tabaco causa à pele

O mês de Maio é o Mês de Combate ao Fumo e além de todos os prejuízos muito conhecidos que o cigarro apresenta à saúde, ele ainda é extremamente prejudicial à pele. Na harmonização facial podem ser realizados diversos procedimentos para ajudar no rejuvenescimento e beleza da pele e o cigarro pode ser um grande inimigo.

O cirurgião dentista e membro da Academia Internacional de Estética Facial, Dr. Ajuz explicou como fumar contribui para o envelhecimento precoce.

O cigarro afeta, e muito, a saúde da pele, prejudicando a aparência de quem fuma. “Todos sabemos que o cigarro faz mal à saúde e ainda pode favorecer o aparecimento de alguns tipos de câncer.
Mas para além disso, a vasoconstrição piora muito a qualidade da pele, pois há diminuição da irrigação sanguínea.”

O profissional de saúde contou que o fumo também interfere no funcionamento natural da pele, causando, envelhecimento precoce, flacidez e até manchas.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), “o cigarro é uma grande fonte de toxinas e outras substâncias (como a nicotina) que aumentam a produção de radicais livres (as moléculas instáveis que agridem a pele, acelerando seu envelhecimento) e atrapalham o funcionamento natural da pele.”

Segundo o cirurgião, devido às suas propriedades oxidativas, o tabagismo resulta em uma pele mais seca e deixa ele com metais pesados.

A SBD também alerta para uma manifestação mais evidente dos efeitos do cigarro sobre a pele: o surgimento de manchas amareladas, principalmente na ponta dos dedos. Com o contato da nicotina no local, a partir do calor do cigarro, as unhas também ficam completamente impregnadas com a substância.

Comece a digitar e pressione o Enter para buscar