26 de abril – Dia Nacional do Combate à Hipertensão

Nutricionista dá dicas para controlar e prevenir o aumento da pressão arterial. Sobrepeso e obesidade são protagonistas

Hoje, terça-feira, 26 de abril, o Brasil lembra a luta pela prevenção e controle da hipertensão. Uma das maneiras mais eficazes para o combate da doença está na alimentação.

Estimativas dão conta que 78% do risco em desenvolver hipertensão essencial em homens, e 65% do risco em hipertensão essencial em mulheres seja atribuído ao excesso de massa corporal.

A nutricionista Inari Ciccone confere uma série de sugestões para quem sofre do mal ou deseja se prevenir contra a enfermidade.

Seguem:

1 – Consuma alimentos ricos em fibras solúveis, integrais e naturais. Essa é uma das recomendações da dieta DASH (Dietary Approaches to Stop Hypertension), estilo alimentar mais recomendado nesse caso. As fibras solúveis emulsificam o bolo alimentar, ajudam na redução do colesterol e na regulação dos níveis de glicose e insulina o que, consequentemente, ajuda na pressão sanguínea. Trocar alimentos refinados como pães e biscoitos industrializados por preparações feitas com frutas (como um bolinho ou panqueca de banana, por exemplo), pode ser uma boa estratégia, além da inclusão dos alimentos integrais;

2- Limite o consumo de alimentos ricos em sódio, além de retirar o saleiro da mesa. O sódio em excesso aumenta a retenção de líquido e a vasoconstrição. Alimentos como embutidos, temperos industrializados, macarrão instantâneo e refrigerantes diets são exemplos dos alimentos que devem ser evitados. Alimentos como alface, cenoura, abobrinha e couve-flor, como todos os vegetais e legumes, têm baixo teor de sódio;

3- Fuja do sedentarismo, mantenha-se ativo. A atividade física estimula o metabolismo e o bom funcionamento do sistema cardiovascular. Mexa-se respeitando seu condicionamento físico;

4- Beba água e hidrate-se de forma adequada. A hidratação é importante para a fluidez do sangue, essencial para uma boa pressão das artérias. A recomendação média é de 30ml/kg de peso;

5- Monitore seu peso: o excesso de gordura corporal produz um efeito negativo por duas vias: a primeira – a partir da alimentação hipercalórica, que leva ao aumento do peso normalmente, acarreta em um aumento do consumo de sódio e gorduras saturadas e trans, prejudiciais a todo sistema cardiovascular; a outra via é pela sobrecarga metabólica, uma vez que o excesso da gordura corporal, principalmente do tipo visceral, aumenta a vasoconstrição dos vasos para bombear sangue para o corpo todo.

“Aprender a gerenciar o peso a partir do estilo de vida é o melhor caminho para uma vida com a pressão arterial controlada. Estima-se que 78% do risco de desenvolver hipertensão essencial em homens, e 65% do risco de desenvolver hipertensão essencial em mulheres seja atribuído ao excesso de massa corporal. Avaliando a relação pela perspectiva inversa (ou seja, exclusivamente da população hipertensa), mais de 70% dos indivíduos com hipertensão estão com sobrepeso ou obesidade. Coletivamente, esses dados indicam uma alta prevalência para o fenótipo obesidade-hipertensão, justificando o foco na prevenção e no tratamento”, conclui Inari.

Fonte: Landi et al. Body Mass Index is Strongly Associated with Hypertension: Results from the Longevity Check-Up 7+ Study, Nutrients 2018

Comece a digitar e pressione o Enter para buscar