O mel como aliado no rendimento esportivo

O tradicional mel de abelha, amplamente utilizado para acalmar a tosse, combater resfriados e adoçar suco de bebê, pode ser também um forte aliado no rendimento esportivo. Além de nutritivo, o mel é sobretudo uma fonte rápida de energia, já que é facilmente absorvido pelo organismo.

“A glicose é o açúcar que está circulando no sangue. Quando ela se torna disponível, participa de processos metabólicos que fornecem energia para o funcionamento do nosso organismo. Desta maneira, o mel mantém o nível de glicose alta para obter um bom rendimento, sem contar que é rico de vitaminas valiosas para a recuperação muscular e física como a BI, B2,B5,B3 e C”, explica a nutricionista da Flormel, Amanda Matos.

De acordo com um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Oxford, o uso do mel no tratamento de infecções do trato respiratório superior pode ser mais eficaz do que o uso de medicamentos. Por essa razão, todo cuidado é pouco. Segundo a nutricionista, o ideal é dar preferência ao mel 100% orgânico, livre de componentes químicos.

“O mel puro é produzido segundo normas específicas que o qualificam como um produto isento de contaminações químicas e biológicas indesejáveis. Para produzir um mel que possa receber o título de orgânico, o apicultor deve passar por um processo de certificação. Isso é feito por algumas empresas que enviam inspetores que analisam tecnicamente as condições do apiário e sugerem adequações para a conversão do apiário convencional em orgânico. Atendidas as exigências e depois de um período de carência, a empresa certifica o apiário”, revela a nutricionista.

Mel no pré-treino

“O pré-treino é importante para fornecer a energia que será gasta durante a execução dos exercícios. Incluir o mel em iogurtes, frutas, panquecas e até mesmo na tapioca irá gerar uma energia extra para o seu treino. Outra dica é associar o mel com alimentos ricos em proteínas ou abastecidos de fibras, pois desta maneira há uma redução da carga glicêmica, evitando picos de insulina e glicose. O ideal é que a refeição seja feita de 30 a 60 minutos antes do início dos exercícios”, ressalta.

Alerta para a quantidade

 

“Costumo dizer que o mal está no excesso, então cuidado! O consumo de mel pode ser cerca de uma a duas colheres (de sopa) por dia, porém respeite a prescrição do seu médico ou nutricionista”, alerta Amanda. Vale ressaltar que a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) para adultos e crianças em geral é reduzir a ingestão de açúcares livres a menos de 10% da ingestão calórica total.

Mel x diabetes

“Pessoas diabéticas devem tomar cuidado, principalmente sem prescrição profissional, pelo fato do mel ser rico em açúcares simples, que chegam diretamente na corrente sanguínea, elevando rapidamente a glicemia do sangue”, finaliza a especialista.

Comece a digitar e pressione o Enter para buscar