Slow Travel ganha adeptos durante a pandemia

Tendência é caracterizada por viagens menos movimentadas e maior atenção à hospedagem

O movimento Slow Travel vem ganhando cada vez mais força. A ideia de viagens apressadas, de curta duração e onde se tenta visitar o maior número de atrações possíveis, tem cada vez menos adeptos. Seja pelas imposições da pandemia, que exigem um nível maior de planejamento, ou pela simples percepção que viagens assim, em geral, não são sustentáveis.O uso do adjetivo inglês “slow” para designar a forma de viagem pode ser traçado aos anos 80, junto ao movimento slow food encabeçado pelo italiano Carlo Petrini.

O slow food tinha como objetivo se contrapor à invasão das redes de fast food e defender a gastronomia tradicional e a boa alimentação. Desde então, o termo é usado para identificar movimentos que defendem práticas similares, como o slow fashion e o slow travel.

Dentre as características do slow travel, estão o menor deslocamento ao longo de uma viagem, mais tempo hospedado e, portanto, um maior cuidado na escolha de provedores e hospedagem. Para os apreciadores do Slow Travel, a Villa Bom Jardim se torna o destino ideal para este verão.

A casa com mais de 1500m² e sete amplas suítes, em um terreno de 500 mil metros, é o espaço perfeito para famílias, grupos e celebrações, além de contar com serviços de uma equipe que inclui cozinheira, arrumadeira, caseiro e marinheiro. Localizada no centro histórico de Paraty e aos pés da Mata Atlântica, tem tudo para proporcionar lazer, conforto e cultura aos seus hóspedes.

“Nossos hóspedes têm ao alcance dos olhos o mar turquesa, cheio de peixes, e o pôr-do-sol mais lindo do mundo”, diz Sandra Foz, proprietária da Pousada do Sandi e da Villa Bom Jardim. O sítio, que está há 55 anos nas mãos dos proprietários da Pousada, foi comprado por Joviro Foz, pai de Sandra, nos anos 1960. O empresário descobriu Paraty, a convite do amigo Jamil Klink, pai do navegador Amyr Klink, quando o acesso a cidade era por estrada de terra.

 

A Villa está disponível para locação, seguindo o mesmo padrão de qualidade da Pousada do Sandi.

 

Sobre a Villa Bom Jardim

A casa em estilo colonial mais clássica de Paraty foi inteiramente reformulada, em 2020, com projeto do renomado arquiteto Marcos Tomanik. Com sete amplas suítes, três delas com vista para o mar, todas com closet e amplos banheiros, o imóvel ocupa uma área de 1.500 m2. O piso foi trocado por uma linda cerâmica importada da Espanha. A decoração conta com peças garimpadas pela família em antiquários náuticos, há mais de 50 anos, como bússolas originais de navios, escafandros e imitações de barcos de navegação ingleses, mesclados a cores navy e temas tropicais. A sala é integrada à cozinha, por sua vez, ligada a uma nova área gourmet externa. A segunda cozinha tem todos os equipamentos da marca Viking, visando entregar o que há de melhor aos amantes da gastronomia. Faz parte também da cozinha gourmet uma clássica Berkel 1920, conhecida como “a mais linda e clássica fatiadora de frios do mundo”, que funciona também como peça de decoração. Com amplas varandas, a Villa oferece ainda uma academia equipada e um quiosque moderno para refeições descontraídas em meio a natureza. É o espaço ideal para famílias, grupos e celebrações.

 

Informações para a imprensa: 

Visar Planejamento

www.visarplan.com.br

 

Comece a digitar e pressione o Enter para buscar