O papel da dieta cetogênica (DC) no desempenho esportivo

O consumo de TCMs é uma estratégia para manter os níveis energéticos e a prática de atividades físicas durante a DC

Dieta cetogênica (DC) é aquela que restringe drasticamente a quantidade diária ingerida de carboidratos. Uma dieta equilibrada distribui suas calorias entre 55 a 65% de carboidratos, 10 a 35% de proteínas e de 20 a 30% de gorduras. Na dieta cetogênica, a quantidade de carboidratos não ultrapassa de 10 a 15% de carboidratos.

Ao contrário das dietas seguidas por quem busca o ganho de massa muscular, durante a DC, não se deve consumir alimentos como cereais, leguminosas, raízes, tubérculos e frutas, exceto as frutas vermelhas e o limão. Por essa razão, passou a ser a queridinha para quem quer perder peso e/ou reduzir o percentual de gordura corporal.

A nutricionista Alessandra Luglio explica que a DC altera o processo metabólico de geração de energia corpórea induzindo o corpo a ativar o uso de gorduras como fonte energética no lugar da glicose (proveniente do carboidrato).

“Quando se inicia uma dieta cetogênica, o corpo estando em restrição severa de carboidrato, demora um certo tempo para entrar em cetose, ou seja, uso de corpos cetônicos como fonte primária de energia. Por isso, o consumo de TCMs é uma estratégia muito eficiente para manter os níveis energéticos e a prática de atividades físicas, estimulando mais rapidamente o processo de cetoadaptação e a queima de gordura corporal”, revela.

 

Mas o que é TCM?

O TCM (Triglicerídeos de Cadeia Média) é uma espécie de combustível natural para o cérebro encontrado principalmente no óleo de coco. O ingrediente está cada vez mais presente no mercado de suplementos por ser fonte de energia de rápida absorção e assimilação pelo organismo podendo aumentar o rendimento mental e físico.

Pesquisas indicam que ele também é capaz de evitar o progresso de doenças degenerativas. Um estudo recente publicado no Clinical Nutrition Journal sugere que o TCM tem um efeito positivo na capacidade cognitiva de pacientes com Alzheimer, no grau leve a moderado.

Apesar de serem necessários mais dados para a comprovação efetiva, a ação positiva pode estar relacionada à produção de corpos cetônicos – substâncias geradas pela metabolização do TCM e que servem de energia para o cérebro, por uma via diferente da glicose.

“Os TCMs são tipos de gorduras de rápida digestão e assimilação pelo nosso corpo que, ao serem absorvidas, estando o corpo em déficit energético, logo são transformados em corpos cetônicos, aumentando os níveis de energia corporal e cerebral, melhorando as funções cognitivas”, afirma a especialista, que participou do processo de desenvolvimento do UltraCoffee – suplemento natural à base de café que utiliza como fonte energética os TCMs C8 e C10.

A nutricionista explica ainda que esses TCMs, exclusivamente, são os que comprovadamente são mais rapidamente assimilados pelo organismo. A oferta de colina e vitaminas do complexo B, presentes na bebida, formam um combo ultra, aumentando o desempenho da função cognitiva.

“No processo de desenvolvimento, que durou cerca de oito meses, a Plant Power SuperFoods se preocupou com a pureza do produto, que não apresenta aditivos artificiais em sua composição e foi concebido por nutricionistas que selecionaram cuidadosamente apenas ingredientes com eficácia comprovada, além de dosagem efetivas que realmente funcionam”, revela.

Alessandra Luglio alerta que as dietas cetogênicas devem ser elaboradas por nutricionistas e adequadamente introduzidas no dia a dia dos pacientes de acordo com demandas e condições individuais e devem ser seguidas por um tempo específico, pois são demasiadamente restritivas podendo gerar carências nutricionais e efeitos “rebote” de apetite e vontades específicas.

Comece a digitar e pressione o Enter para buscar