AVC mata 3 pessoas a cada hora e campanha alerta combate

Dia Mundial do AVC é em 29 de outubro, com ação mundial; empresas e instituições abraçam a causa

O AVC (Acidente Vascular Cerebral) é a segunda maior causa de mortalidade no Brasil. Neste ano, de janeiro a agosto, 18.141 brasileiros morreram em decorrência do problema, segundo o DataSUS. O número equivale a três casos fatais a cada hora e é 7% maior do que o registrado no mesmo período do ano passado.

Ainda nos primeiros oito meses deste ano, o SUS contabilizou 112.047 internações por AVC. Em todo o ano de 2020, foram 172.285 hospitalizações e 25.269 óbitos. Estudos indicam que uma em cada quatro pessoas terá a doença ao logo da vida.

No combate ao AVC, cada minuto tem valor imensurável no salvamento de uma vida. Por essa razão, relógios instalados em diversos pontos turísticos de várias partes do mundo estarão iluminados com a cor azul, em 29 de outubro, Dia Mundial do AVC, para alertar sobre a importância do socorro ágil. No Brasil, o relógio da Estação da Luz, onde está localizado o Museu da Língua Portuguesa, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, terá iluminação especial na data. O Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, também estará iluminado em alusão à data. Nos metrôs da capital paulista e nos trens do Rio de Janeiro, a campanha “Combatendo o AVC”, encabeçada em solo brasileiro pela Rede Brasil AVC, veiculará mensagens de conscientização e prevenção aos milhares de passageiros que passam por suas estações diariamente. Outras empresas e entidades também se unirão à disseminação de informações a respeito do combate ao problema, além de eventos online que acontecerão entre os dias 26 e 29.

“A cada minuto em que o AVC isquêmico não é tratado, a pessoa perde 1,9 milhão de neurônios, por isso, identificar rapidamente os sinais do AVC e o socorro ágil evita o comprometimento mais grave que pode deixar sequelas permanentes, como redução de movimentos, perda de memória, prejuízo à fala e diminui drasticamente o risco de morte”, explica a presidente da Rede Brasil AVC e presidente-eleita da World Stroke Organization (Organização Mundial de AVC), Dra. Sheila Cristina Ouriques Martins. “Algumas coisas podem esperar, o AVC não, cada minuto conta”, completa.

Entre as características de alerta mais comuns estão sorriso caído, braço fraco e fala enrolada. Outras situações que merecem atenção são formigamento na face, no braço ou na perna, especialmente em um lado do corpo; confusão mental, alteração na visão, no equilíbrio, na coordenação, no andar; tontura e dor de cabeça súbitas, intensas, sem causa aparente. “Ao identificar algum desses pontos, o SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), por meio do telefone 192, deve ser imediatamente acionado e os socorristas deverão ser informados que se trata de um AVC. A identificação precoce dos sintomas e o tratamento médico imediato em um Centro de AVC intensificam consideravelmente a recuperação”, salienta a especialista.

Tipos de AVC

Existem dois tipos de AVC: o isquêmico, que ocorre quando falta sangue em alguma área do cérebro; e o hemorrágico, quando um vaso (do tipo artéria, raramente uma veia) rompe.

Além da necessidade de educar a população quanto aos sinais de alerta do AVC e da urgência do tratamento, a campanha também reforça o controle dos fatores de risco. “Em 90% dos casos, o AVC é causado por pressão alta, diabetes, colesterol elevado, doenças do coração como arritmias, obesidade, sedentarismo, consumo excessivo de álcool e o tabagismo”, fala a médica. “A prevenção é feita através de uma alimentação saudável rica em frutas, verduras, grãos e pouca gordura e carboidratos; fazer exercício físico regularmente, limitar o uso de bebidas alcoólicas, não fumar e consultar o médico regularmente para revisão dos fatores de risco”, conclui Sheila.

Comece a digitar e pressione o Enter para buscar