Tênis: confira seis dicas para o cuidado com os pés e a escolha do modelo ideal

Apesar do conforto, especialista da Doctor Feet destaca alguns cuidados que o calçado merece para manter os pés saudáveis

O tênis é um dos calçados mais confortáveis e a cada ano diferentes modelos são confirmados como tendência de moda para composição de diversos looks. Para garantir o bem-estar, a escolha do modelo ideal é fundamental para evitar o efeito reverso: problemas nos pés.

“Outra preocupação é que manter esta região fechada por muito tempo acumula suor e ambiente úmido é terreno fértil para os fungos. Eles podem aparecer na pele, entre os dedos ou nas unhas”, afirma Karina Barros, podóloga e coordenadora técnica da Doctor Feet, rede especializada em serviços de podologia, manicure e venda de produtos médicos, ortopédicos, bem-estar e saúde.

A profissional preparou uma lista com seis dicas, confira abaixo:

  1. Patologias: Para quem sofre com inflamações na musculatura (fascite plantar), deformação óssea (joanetes) e ligamentos calcificados (esporão), por exemplo, recomenda-se o uso de tênis que tenham amortecimento e apoio adequado para o arco do pé e que não sejam largos nem apertados demais. A sola não deve ser muito fina ou muito gasta;
  2. Tipo de pisada: Importante conhecer o tipo de pisada, pois deve ser levado em consideração na escolha no tênis ideal: Pisada pronada – quando o peso do corpo é jogado para dentro, no sentido interno do pé. Dê preferência por calçados com palmilhas anatômicas que oferecem apoio ao arco interno do pé. Também, pode-se usar qualquer sapato flexível que permita o trabalho da musculatura do pé que fica mais fraca e distendida; Pisada supinada – ao contrário da pronada, a borda externa do pé leva a sobrecarga e o peso do corpo é jogado para fora. Dê atenção para calçados e palmilhas que acomodam bem os pés e que distribuam o peso do corpo, tirando a pressão localizada e evitando assim dor e calos; Pisada Neutra – considerada o tipo mais correto de pisada, estabiliza a divisão do peso de todo o corpo, impulsionada pela parte frontal do pé. Vale ressaltar que apesar de neutra, esse tipo de pisada não se adapta a qualquer tipo de calçado, é preciso experimentar modelos e palmilhas mais flexíveis que preservem a anatomia do pé.
  3. Prática de esportes: Todos os esportes têm tipos de tênis específicos. Quando a pessoa não é atleta, mas pratica uma corrida, por exemplo, o correto é alternar: ter calçados com solados macios e calçados com solados menos macios.
  4. Pé de atleta: Mesmo que o tênis seja o calçado favorito, é importante revezar de par para que ele ventile, já que nunca deve ser calçado úmido. Essa prática provoca frieira, que pode desencadear em micoses também, doença conhecida como ‘pé de atleta’, muito comum entre o público masculino;
  5. Meias: Use sempre meias de algodão, que ajudam na melhor absorção do suor e evitam odores e lesões durante o caminhar ou a prática de atividades físicas;
  6. Higiene: Sempre presente no nosso dia a dia, a higiene dos pés e dos calçados não deve ser deixada de lado. Mantenha as unhas sempre cortadas para evitar que a sujeira se acumule e não guarde o tênis sujo (e isso serve para todos os outros calçados também).

Comece a digitar e pressione o Enter para buscar