No mês dedicado ao Outubro Rosa, conheça a técnica de reconstrução mamária

Outubro Rosa é o mês dedicado à conscientização do câncer de mama, a campanha tem como principal objetivo alertar sobre a importância de exames preventivos para o diagnóstico precoce que agora inclui o câncer de colo de útero. Como parte do tratamento, algumas mulheres fazem mastectomia para retirada parcial ou completa da mama.

“A partir deste procedimento existem opções de reconstruções que podem ser feitas no mesmo dia da retirada do câncer ou após a cicatrização da primeira cirurgia”, explica Dra. Thamy Motoki, médica e cirurgiã plástica.

A médica conta que na maioria dos casos de setorectomia,  a reconstrução é realizada com o próprio tecido mamário. “Em pacientes que realizaram a retirada de toda a glândula, podemos optar pelo uso de próteses de silicone”, diz. Nas cirurgias mais extensas é possível reconstruir a mama com retalhos locais.

“Em alguns pacientes existe a necessidade de colocar um expansor de tecido. Esta técnica permite o estiramento progressivo da pele remanescente da mama, para a posterior confecção de retalhos e colocação da prótese”, completa.

Também há a possibilidade de optar por retalhos de tecidos de outras regiões do corpo, como o dorso e abdome.

Dra. Thamy revela que também é possível operar a mama sadia (sem câncer), para deixá-las proporcionais por meio do procedimento de simetrização.

Comece a digitar e pressione o Enter para buscar