Projeto “Fazendo a Diferença” com atividades em setembro

A Fundação Energia e Saneamento promove a 2ª edição da iniciativa em São Paulo e Paraná 

A partir deste mês de setembro, inicia a 2ª edição do “Fazendo a Diferença”. A iniciativa promovida pela Fundação Energia e Saneamento e patrocínio da CTG Brasil, visa criar um processo de mobilização e transformação socioambiental em instituições e comunidades por meio do conhecimento. Este ano o projeto estará presente em três localidades: capital paulista, Mirante do Paranapanema, interior de São Paulo e Itaguajé, no Paraná. Jovens adultos e estudantes de ensino médio são o principal público-alvo. Cada município tem a disponibilidade de 25 vagas.

O “Fazendo a Diferença” ocorre em etapas. A primeira é a de mobilização, ou seja, a formação dos grupos por cidades. A próxima é a realização de oficinas virtuais com seis temáticas, sendo a última dividida em três encontros. Todas as temáticas giram em torno de importantes questões ambientais como água, energia, uso e reuso, tratamento de resíduos sólidos e consumo consciente.

Para participar, é necessário ter acesso a internet e todos os encontros serão realizados de maneira síncrona com uma hora e meia de duração. Após as oficinas, é alinhado com o grupo quais práticas e intervenções serão realizadas na comunidade ou instituição. Alguns exemplos possíveis são: implantação de um sistema de armazenamento e captação da água, hortas coletivas, espiral de ervas, aquecedor solar de baixo custo e sistema de tratamento de água cinza.

“Apresentamos uma série de opções disponíveis de acordo com a temática e a comunidade decide o que é mais interessante. O grande objetivo do projeto é mostrar que algumas soluções de problemas ambientais e sociais da localidade tem solução com baixo custo. Criamos um senso de autonomia e independência e mostramos que em alguns pontos a própria comunidade consegue resolver. Transferimos conhecimento, que produz engajamento com uma tecnologia acessível”, explica Rafael Ferreira, coordenador da iniciativa.

A 1º edição do projeto ocorreu no segundo semestre de 2020 e os encontros também foram realizados virtualmente devido à pandemia da Covid-19. Os municípios contemplados foram Chavantes – SP, Ribeirão Claro – PR e Carlópolis – PR.

“Foi gratificante ter participado. Os temas trabalhados nas oficinas são de extrema relevância, e nós temos a missão de ensinar como é importante o envolvimento e a preocupação com a terra, com a água, com os elementos naturais”, conta Helena Maria Batista Santos, Diretora de Escola Infantil do município de Carlópolis.

Comece a digitar e pressione o Enter para buscar