Lifiting com fios é grande aposta da Odontologia para reabilitação funcional e estética dos pacientes

Tecnologia inovadora é alternativa segura e minimamente invasiva para intervenções específicas realizadas por cirurgiões dentistas

Procedimentos estéticos mais tecnológicos, que agregam estímulo de colágeno e efeito lifting,  e que prezam pela segurança e pela beleza natural são cada vez mais procurados por pacientes nos consultórios. Os Fios de PDO hi-tech são, definitivamente, uma das alternativas e vieram  para ficar. “O well-ageing é uma tendência forte do mercado de beleza e bem-estar. O objetivo é envelhecer bem, driblando as marcas do tempo sem apaga-las. É o que a grande maioria dos pacientes deseja, e o que os Fios de PDO colaboram em muito para entregar”, comenta a cirurgiã dentista e Presidente da Comissão de Estética Orofacial do Rio de Janeiro, Simone Sattler.

Amplamente utilizados na Europa, Ásia e nos Estados Unidos, eles chegaram ao Brasil há pouco tempo, mas já estão conquistando enorme espaço pela sua qualidade e resultados nos tratamentos. Nascidos na Coreia, os fios absorvíveis são feitos à base de PDO (polidioxanona), utilizada há 30 anos nas suturas das cirurgias, com total segurança). Eles funcionam como bioestimuladores que, entre outras funções, contribuem para o tratamento de assimetrias, hiperfunção muscular, melhoram o contorno e a sustentação da pele, reposicionam o tecido, impactam na atividade muscular, no volume da hipoderme e no seu deslocamento, tratando o envelhecimento e proporcionando uma pele mais lisa e viçosa.

Na Odontologia, o uso dos Fios de PDO tem sido recorrente e com resultados acima do esperado. “Na atualidade, temos o privilégio de ter mais vitalidade ao longo dos anos, mantendo-nos ativos tanto na vida profissional como social. Essa evolução é muito positiva, e acompanhando a tendência mundial de “envelhecer bem e ativamente” vieram os procedimentos cosméticos minimamente invasivos, que trazem comodidade, revitalizam, volumizam e reestruturam os tecidos faciais sem a necessidade de cirurgia e sem downtime”, comenta Dra. Simone Sattler.

Através de um processo inflamatório controlado, os Fios de PDO estimulam a síntese de colágeno, dando mais firmeza à pele e, entre outras coisas, tratam a flacidez tecidual. A especialista, que utiliza os fios da marca i-Thread em seu consultório, diz que eles vieram para agregar muito aos tratamentos faciais. “Em versões liso, parafuso, espiculado, moldado, entrelaçado (matrix) e outros, eles têm a propriedade de induzir a formação colagênica, sustentando a derme e a subderme, minimizando rugas, planificando as irregularidades cutâneas e trazendo o benefício de lifting suave, quando utilizamos os fios de tração, por exemplo”, declara a especialista.

Para o procedimento é necessário apenas anestesia local, sendo realizado em consultório. É imprescindível o conhecimento aprofundado do profissional em relação à anatomia da face, além de segurança e destreza para utilizar as técnicas de aplicação dos fios.

“Os fios vieram para ficar, pois conseguem entregar resultados de valorização da beleza natural dos pacientes, sendo um material absorvível, biodegradável, e amplamente utilizado na medicina para suturas cirúrgicas há mais de 20 anos, sendo assim um material seguro”, afirma a cirurgiã dentista.

Como precaução, a especialista recomenda alguns cuidados  nos 15 dias após procedimento, como evitar sol, sauna e atividades físicas. Para realizar o procedimento, o paciente não deve ter implantes no trajeto dos fios, doenças infecciosas agudas, inflamação de pele, tendência a queloides, doenças somáticas crônicas ou excesso de pele. Os fios são totalmente absorvíveis pelo organismo em cerca de 1 ano, mas os resultados são ainda mais duradouros.

Comece a digitar e pressione o Enter para buscar