Letícia Braga, a Sol no sucesso infantil ‘Detetives do Prédio Azul’, se prepara para viver adolescente diagnosticada com leucemia

Atriz e escritora, a jovem premiada será protagonista do filme ‘Meninas Não Choram’ e sonha em estrelar novela na Globo

 

Com apenas 16 anos, sendo quase 10 de carreira, Letícia Braga, a marcante Detetive Sol na consagrada série infantil “Detetives do Prédio Azul” (DPA) ostenta um currículo invejável. Seis participações em séries e novelas, dois livros e cinco filmes, sendo vencedora de prêmios de melhor atriz duas vezes pelo longa “Menina Índigo”, a levaram ao protagonismo no drama “Meninas Não Choram”, com previsão de estreia para 2022. A jovem promete grandes surpresas e não coloca limites para a sua atuação.

“Minha personagem é uma menina ativa que está experimentando a chegada da adolescência, o que por si só já é um momento diferenciado. Agora imagina passar por isso no meio de um diagnóstico de leucemia? Mas ela é corajosa”, diz a atriz, que revela estar disposta a raspar a cabeça inclusive: “Penso nisso como uma grande oportunidade de me aproximar dessa verdade que dói. Um caminho de luta que atinge a milhares de adolescentes. Não somos diferentes, apenas estamos diferentes nesse momento”.

“Meninas Não Choram” é um remake que promete surpresas e muita emoção. De acordo com Letícia, a preparação para o papel está sendo bem tranquila. “Faço um trabalho de visita a Ala das Crianças com câncer da Santa Casa de Santos em São Paulo bem antes de ser escolhida para o papel, então já vi de perto essa realidade, e por ser espírita só posso acreditar que há um propósito maior nessa combinação, no que o filme vai poder mostrar”.

Diferente do imaginado, a atriz não quis ver o filme original para não adquirir vícios de interpretação. Segundo ela, a inspiração veio do que a diretora Viviane Jundi disse esperar do papel. “Ela é minha amiga e inspiração, em quem tenho plena confiança. Além disso, vi outros filmes com a temática, como “Uma Prova de Amor” e “A Culpa É das Estrelas”.

O início de tudo

O primeiro trabalho de Letícia foi aos 7 anos, quando participou de um comercial e de uma novela. Logo em seguida foi escolhida para “Menina Índigo”, longa-metragem que a levou a duas premiações de melhor atriz, sendo elas a do Festival de Cinema da Lapa e a International Film Festival de Manhattan. “Os prêmios foram inesperados e emocionantes. A melhor sensação foi saber que eu estava concorrendo com atrizes mais velhas, não era apenas para a melhor atriz mirim, e sim, a melhor no geral. Isso me deu bastante coragem e certeza de que estava no caminho certo”, conta.

Os vídeos da infância já revelavam o futuro. Dançando, cantando e construindo seus próprios shows em casa, Letícia se mostrava nascida para a arte. “Não foi apenas um sonho. Sempre foi um objetivo. Eu sabia o que queria e contei com a sorte. Mas cedo ou tarde, mais popular ou menos, trilharia o caminho de ser artista. É mais forte que eu”, diz a atriz, extrovertida e eloquente.

Detetive Sol

Sucesso entre as crianças, Letícia Braga deu vida a Detetive Sol, na febre infantil “Detetives do Prédio Azul”, no Gloob. “Foi um presente pra mim. Além de poder exercer a minha arte brincando junto com amigos da minha idade, a Sol me transformou em uma pessoa amada pelas crianças e isso foi incrível! Amo esse carinho que recebo”, afirma Letícia, que ficou na série por nada menos que 7 temporadas.

Dos 9 aos 15 anos, os fãs da Detetive Sol viram Letícia crescer e amadurecer em frente às câmeras. “Mudei muito por dentro e por fora, com toda a rotina de trabalho como as de um adulto, compromissos e responsabilidades”. Tanto tempo de série a fez ter a bagagem que poucos atores mais velhos têm. “Isso foi me deixando cada vez mais segura e hoje eu me considero uma atriz que entende de muitas coisas. Conheço bem meus pontos positivos e meus pontos fracos para lidar com isso”.

Artista completa

Além de atuar, a adolescente também é escritora, já lançou dois livros e se prepara para os próximos. “Cabelinhos de Anjo” e “O Que Eu Vou Ser Quando Crescer”, de acordo com a autora, foram inspirados em sua própria vida. “Penso em várias histórias durante o dia. Vivo fantasiando”, e conta que desde pequena já juntava folhas de papel para escrever e ilustrar histórias. Seus próximos dois livros já estão em andamento, um de temática infantil, e o outro mais adolescente. Mas ainda são segredo.

Sendo uma artista completa, Letícia fez bonito na “Dancinha dos Famosos”, mas diz que a dança não é seu carro-chefe.

“Sou dedicada e focada, então hoje sei que posso ter a dança como instrumento de trabalho, o que eu considero mais importante”.

A atriz afirma também que não é muito fã de competições e que levou da Dancinha apenas a sensação de que é capaz de dar conta do recado.

Futuro

Com o sonho de se tornar protagonista em uma novela da Rede Globo, Letícia pretende apenas se preparar para os projetos que podem estar por vir. “Deixo as coisas acontecerem. Quero ter a oportunidade de trabalhar, me exercitar e evoluir enquanto atriz, mas sem estresse. Enquanto as coisas não acontecem, estudo, faço aulas de canto, pilates e natação. Pretendo fazer faculdade de história e cursos que me ajudem na minha carreira”, finaliza.

Comece a digitar e pressione o Enter para buscar