Benefícios da Auriculoterapia para bebês e crianças

A técnica é excelente aliada no alívio de cólicas, melhorias do sono, atenuação dos sintomas do início da dentição e até no combate ao estresse gerado pela volta às aulas

A auriculoterapia é uma parte importante da Medicina Tradicional Chinesa e foi oficializada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como uma terapia de microssistema, sendo atualmente um ramo da acupuntura. Tem como base o princípio de que o corpo humano pode ser totalmente representado através da orelha, ou seja, quando os pontos corretos no pavilhão auricular são estimulados, o corpo libera estímulos que ajudam a retomar o estado de equilíbrio.

“O tratamento pode ser aplicado em qualquer pessoa, independentemente da idade e condição física, sem contraindicações e, portanto, para os bebês e crianças é um excelente aliado no alívio de cólicas, melhorias do sono, atenuação dos sintomas do início da dentição e até no combate ao estresse gerado pela volta às aulas”, explica a Terapeuta Holística e especialista em saúde feminina, gestação, bem-estar e fitness do Espaço TATVA, Natália Lima.

A auriculoterapia, além de proporcionar alívio para o corpo, como melhoras de dores, desconfortos e outros, ainda traz vantagens para a mente, pois, auxilia no tratamento de insônia, angústia e depressão.

O procedimento consiste na colocação de um material esférico e de superfície lisa, como um pequeno cristal ou grão de mostarda, rigorosamente higienizado, preso à pele com esparadrapo e de forma que faça pressão no ponto auricular pretendido.

Ademais, por se tratar de uma terapia pouco invasiva, o tratamento ainda conta com os seguintes benefícios:

  • Fácil aplicação;
  • Procedimento econômico;
  • Ampla indicação;
  • Poucos efeitos colaterais.

Natália ainda explica que, devido ao fato de bebês e/ou crianças sofrerem bem menos interferências do ambiente externo, a auricoloterapia tem um efeito bem mais rápido e eficaz nesse grupo. “As crianças ainda estão com a energia “crua” e são puras de sentimentos e emoções. Portanto, o tratamento se torna mais efetivo”, conta.

No entanto, a terapeuta lembra que, como qualquer medicina Integrativa, a auriculoterapia não substitui os tratamentos alopáticos. “Eles caminham juntos, ou seja, é uma terapia de apoio e reforço nos casos em que a medicina tradicional também se faz necessária”, finaliza a especialista do Espaço TATVA.

Comece a digitar e pressione o Enter para buscar