Primeiros socorros: como ajudar em urgências e emergências médicas

Acidentes acontecem, seja dentro de casa, nas ruas, empresas ou locais públicos. Eles até podem ser evitados através de um esforço coletivo, mas precisam ser atendidos de maneira rápida e eficiente. A falta de conhecimento sobre o primeiro atendimento pode trazer graves consequências como omissão de socorro ou má manipulação da vítima.

Entende-se por primeiros socorros qualquer atendimento inicial feito antes da chegada da ambulância e pode ser realizado por qualquer pessoa, mesmo as que não fazem parte da área da saúde. Mas para isso, é necessário preparo.

Urgência, emergência ou atendimento baixa complexidade

 

De acordo com a Portaria n° 2048 do Ministério da Saúde, a área de Urgência e Emergência é um componente essencial para a assistência à saúde e deve ser diferenciada da seguinte maneira: urgência – que se refere a casos resultantes de acidentes pessoais, tais como fraturas e queimaduras – e emergências, que são acidentes que implicam em risco à vida ou lesões irreparáveis para o paciente, como infartos, por exemplo.

É importante saber distinguir os conceitos para facilitar na hora de pedir ajuda. Além da urgência e emergência, podemos citar, também, o atendimento de baixa complexidade que, segundo o Ministério da Saúde, são distúrbios nutricionais, emissão de atestados, atendimento domiciliar para idosos.

Como agir em situações de emergência?

Giulianno Souza, gerente em enfermagem na Ecco Salva, explica que existem circunstâncias em que é possível interferir e tomar certas atitudes para auxiliar a pessoa que passa por algum problema.

Podemos citar entre elas, situações com engasgo, queimadura, cortes, desmaios, falta de ar, afogamento, intoxicação, choque elétrico, sangramento e infarto“.

Ele conta que algumas atitudes simples podem ajudar a socorrer em situações somo essas. Em casos de queimaduras, por exemplo, o ideal é molhar o local da queimadura com água fria limpa e cobrir o paciente em um lençol limpo para evitar que seu corpo esfrie. Caso tenha febre, tentar baixá-la com medicamentos apropriados.

Se o paciente estiver presenciando falta de ar, como uma crise asmática, é aconselhado tentar tranquilizar o paciente, pois o desespero piora a dificuldade de respirar. Abra as janelas, portas e tente ao máximo ventilar o ambiente. É importante não medicá-lo sem orientação médica.

Se a emergência for devido a intoxicação, saiba qual é o caso específico. Para intoxicações por medicamentos, descubra a substância que foi ingerida e guardar a embalagem, caso o paciente vomite, lembre-se de guardar o material para análise e virá-lo de lado, para que não se engasgue. Já se a intoxicação for por combustíveis como gasolina, é importante lembrar de não provocar vômito nem ingerir líquidos ou sólidos. Tente tranquilizar o paciente.

É fato que os primeiros socorros salvam vidas, isso porque, uma intervenção rápida e certeira, além de ajudar o paciente, diminui a necessidade de atendimento médico imediato. As chances de sobrevivência de pessoas que passam por quaisquer tipos de emergência podem ser elevadas em até 85%, caso haja atendimento adequado seja ele feito por perito ou por leigo.

Contudo, mesmo leigos necessitam de fundamentos básicos para realizar as práticas do atendimento pré-hospitalar e é por isso que a disseminação deste conhecimento é tão necessária.

Ecco Salva

Com 29 anos de atuação em atendimentos pré-hospitalares, a Ecco Salva está em três estados brasileiros prestando atendimentos médicos de urgência e emergência com excelência e agilidade. Além de dispor de profissionais altamente qualificados, a empresa oferece cursos de capacitação de atendimento pré-hospitalar.

O conhecimento de primeiros socorros, apesar de básico, é o que mais salva vidas. Casos de engasgo, por exemplo, não são emergências que precisam de uma intervenção médica, basta alguém que tenha o conhecimento básico“, explica Giulianno.

No caso de engasgo, por exemplo, é recomendada a manobra de Heimlich (pressionar a boca do estômago da pessoa engasgada).

Ainda segundo Giulianno, “muitos acidentes podem ser tratados ou resolvidos com esses conhecimentos, inclusive paradas cardíacas, se souber reanimar o paciente ou usar o desfibrilador automático externo (DEA), tudo isso é treinamento básico. A maioria dos casos de parada cardíaca são revertidos com noções de primeiros socorros, então, é de suma importância adquirir esses conhecimentos e investir para que a população os tenha“, afirma o enfermeiro.

Os cursos — que possuem diferentes níveis de qualificação e abrangem desde pessoas leigas, até profissionais da saúde — são ofertados pela universidade corporativa da Ecco Salva, que tem o objetivo de difundir o conhecimento na área da saúde. Com um excelente conteúdo e conhecimento científico na área médica, o programa possui uma metodologia didática a fim de proporcionar competências para aprimoramento pessoal e profissional.

Depois de cumprir a carga horária obrigatória com palestras e treinamentos supervisionados, o aluno é submetido a testes teóricos e práticos sobre os temas estudados, garantindo o cumprimento dos objetivos do curso e a certificação mediante à performance.

Comece a digitar e pressione o Enter para buscar