Conheça mais sobre os cinco principais tipos de escova de dente

Há disponível no mercado diversos tipos de escova de dente com objetivos e eficácia diferentes. A escolha do acessório influencia diretamente na saúde bucal, pois uma que seja inadequada não promove a limpeza e, ainda, pode causar danos aos dentes. Com tantas opções, fica difícil saber qual escolher na hora de comprar e, pensando nisso, o presidente e fundador da OdontoCompany, o cirurgião-dentista Paulo Zahr, explica os cinco principais tipos de escovas de dentes e de cerdas.

 

  • Escova manual

 

É a mais conhecida, simples e barata. O modelo varia no tamanho, na qualidade e no formato e, por isso, é importante ficar atento a esses pontos, principalmente no que se refere à cabeça, região onde está localizada às cerdas.  Nesse sentido, os dentistas recomendam que seja arredondada, pois, dessa forma, ela alcança os cantos da boca. No mais, vale a dica: as cerdas devem ser macias para não danificar as gengivas.

 

  •  Escova à pilha

 

Como o próprio nome diz, esse tipo de escova de dente funciona à pilha. O objeto promove a limpeza dos dentes por meio de vibração, o que diminui o esforço na hora da escovação, mas vale lembrar que você deve realizar o movimento para que a escova cumpra seu propósito. Por ser mais moderna do que a escova manual, esta tem um custo mais alto. A vantagem é que as só cerdas devem ser trocadas quando ficam desgastadas, o que a longo prazo pode ser vantajoso.

 

  •  Escova unitufo

 

Esse modelo é o mais indicado para quem usa aparelho dentário fixo. Suas cerdas têm formato em V, o que permite uma limpeza mais eficiente entre os dentes e peças do aparelho. Dessa forma, há menos acúmulo de resíduos, o que diminui os riscos de cáries e doenças nas gengivas.

  •  Escova interdental

Já este modelo é outro aliado para quem precisa de correção ortodôntica e usa o aparelho fixo. É formado por um tufo de cerdas finas e macias preso a um cabo anatômico e é ótima para escovar as partes mais estreitas da arcada dentária. Ela também é indicada para complementar a limpeza depois de usar a versão  normal, em casos de perda óssea causada por doenças nas gengivas.

  •  Escova elétrica

A escova elétrica é um dos acessórios voltados para a higiene bucal mais modernos atualmente. Além de recarregável, é uma excelente aliada para quem tem dentes sensíveis e ainda oferece uma massagem nas gengivas. O acessório é prático e facilita a higienização correta, pois tem um controle de tempo de escovação, vibração das cerdas e força da aplicação. Os movimentos rotatórios da escova ainda ajudam a remover a placa bacteriana e o tártaro em locais de difícil acesso.

Além dos tipos de escova de dente, há variações também entre suas cerdas. Apesar de muitas pessoas não darem a devida atenção, a maciez da cerda faz toda a diferença para a saúde bucal.

 

  • Cerdas macias e extra macias

 

Trata-se das opções mais recomendadas pelos dentistas, já que as escovas de cerdas macias e extra macias são mais suaves e proporcionam mais conforto na hora da higiene bucal. Ainda removem os resíduos alimentares e a placa bacteriana de toda cavidade bucal sem causar danos aos dentes e gengivas. No entanto, é fundamental que as cerdas sejam arredondadas, para que consigam alcançar todos os cantos da boca.

 

  • Duras e médias

 

As escovas de cerdas duras devem ser evitadas, pois, além do desconforto na hora da escovação, elas ainda podem danificar o esmalte dos dentes e machucar as gengivas. Assim, você corre o risco de sofrer com infecções, doenças periodontais e sensibilidade devido à corrosão do esmalte dentário. Mas, apesar de não serem indicadas para quem tem dentes naturais, a escova de cerdas duras é uma excelente aliada para quem usa próteses e implantes dentários.

  • Cerdas especiais
    Já as escovas com cerdas especiais geralmente têm um custo mais alto do que os modelos comuns, mas o investimento vale a pena, já que elas têm alguns recursos interessantes, como: indicam quando devem ser trocadas, têm cerdas antibacterianas que ajudam a remover a placa bacteriana e impedem o crescimento de bactérias na escova por três meses, cerdas que ajudam a reter o creme dental e promover uma limpeza mais eficiente, além de serem mais flexíveis, o que permitem alto potencial de remoção de placas bacterianas. O nível de eficácia chega a 93%.

Vale ressaltar que  a  única forma de saber qual a melhor opção para seu caso é consultar um dentista e, lembre-se que, independentemente de qual tipo de escova de dente escolher, o acessório deve ser trocado a cada três meses. Depois desse período, ele perde sua eficácia e se continuar utilizando a escova, corre-se o risco de danificar o esmalte dos dentes e machucar as gengivas, além de facilitar a proliferação de bactérias.

Comece a digitar e pressione o Enter para buscar