Cirurgia estética facial que minimiza a “asa do nariz” pede cuidados especiais

Nos últimos anos, houve um aumento significativo na procura por procedimentos estéticos no país, entre eles, a Alectomia, técnica da cirurgia de Rinoplastia utilizada para reduzir a asa nasal, que além de reparar insatisfações voltadas à aparência, também atua para melhorar as funções primárias do nariz, como a respiração.

Segundo o otorrinolaringologista da Clínica Dolci em São Paulo e professor da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, Dr. Ricardo Dolci, ao dar um sorriso, é normal que as narinas se abram, porém, algumas pessoas se incomodam pelo tamanho que as asas nasais podem ficar ao sorrir. “Este incômodo estético pode atrapalhar a autoestima de muita gente. Por isso, a mudança deste aspecto pode ser feita diminuindo as laterais do nariz que circundam as narinas”, conta o médico.

No entanto, registros de pacientes realizando esse procedimento sem a presença de um profissional habilitado, vem preocupando os especialistas, já que uma técnica mal realizada pode causar deformidades estéticas e funcionais irreparáveis. “Uma cirurgia como essa, deve ser feita com atenção aos detalhes, seguindo as medidas padronizadas para que o rosto fique harmônico e o paciente tenha satisfação com o procedimento. Por exemplo, a distância entre uma asa nasal e a outra, deve seguir a dos olhos, se for diferente, poderá haver prejuízos e comprometer a respiração”, destaca o Dr. Ricardo.

Por isso, o primeiro passo que a pessoa deve realizar ao se interessar pela Alectomia, e se atentar ao profissional que confiará sua saúde, para evitar o surgimento de complicações e garantir mais sucesso no processo. “Apesar do aumento do interesse das pessoas, é fundamental que na hora da escolha sobre o procedimento o paciente investigue se o especialista que ele encontrou é membro da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia ou Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, se opera em hospital e até procurar pacientes que ele já operou para saber o grau de satisfação com o resultado e tratamento” orienta Dolci.

Outros cuidados que o otorrinolaringologista pontuou é o comprometimento com o pré-operatório. “Desde as primeiras consultas, converse com seu médico para que ele oriente como serão os dias que antecedem a cirurgia, bem como, após a realização do procedimento siga corretamente todas as orientações sugeridas pelo seu médico, já que o resultado final também dependerá de um pós-operatório feito adequadamente”, finaliza.

Comece a digitar e pressione o Enter para buscar