Blefaroplastia nem sempre é indicada para bolsas de gordura sob os olhos – Afina Menina – Um Portal para todas Nós

Blefaroplastia nem sempre é indicada para bolsas de gordura sob os olhos

A blefaroplastia é uma das cirurgias plásticas mais realizadas em todo o mundo, inclusive no Brasil. Entretanto, o procedimento nem sempre é a solução para resolver as bolsas de gordura nas pálpebras inferiores.

Segundo a oftalmologista Dra. Tatiana Nahas, Chefe do Serviço de Plástica Ocular da Santa Casa de São Paulo, o inchaço sob os olhos é comum, principalmente com o avançar da idade.

“O envelhecimento causa mudanças estruturais na região palpebral. Os músculos que sustentam as pálpebras enfraquecem, os ossos perdem o volume e a pele fica flácida. Todos esses aspectos favorecem a herniação do tecido adiposo, que se traduz nas bolsas de gordura sob os olhos”.

Trio problemático

Em alguns casos, além das bolsas de gordura, a pessoa pode desenvolver a bolsa malar e os festoons (dobras de pele sob os olhos).

“Quando as três condições ocorrem ao mesmo tempo, é preciso uma avaliação minuciosa para indicar o melhor tratamento. Na maioria dos casos, a bolsa malar e os festoons não tem recomendação cirúrgica”, explica Dra. Tatiana Nahas.

Fatores de risco

Além do envelhecimento, há outros fatores que aumentam o risco de desenvolver as bolsas de gordura.

“Pessoas que ingerem muito sal e alimentos ricos em sódio podem reter líquido. Noites mal dormidas, tabagismo e hereditariedade são outros fatores relacionados à condição”, diz a médica.

“Algumas doenças ligadas ao fígado, rins, coração, tireoide e sistema endócrino também podem levar ao desenvolvimento das bolsas de gordura e do edema malar”, completa Dra. Tatiana.

Quando a blefaroplastia é indicada?

A blefaroplastia pode ser uma possível solução para as bolsas de gordura sob os olhos. As bolsas de gordura são removidas por meio de uma incisão por dentro das pálpebras inferiores.

“Essa técnica é chamada de transconjuntival. O procedimento, que não deixa cicatrizes, permite retirar as bolsas de gordura sem agredir a pele, musculatura orbicular e o septo orbital. Porém, a indicação, nesses casos, é para pessoas com menos excesso de pele”, aponta Dra. Tatiana.

Nos casos do edema malar e dos festoons, o preenchimento com ácido hialurônico, bem como tratamentos dermatológicos que usam tecnologias a laser, por exemplo, podem contribuir muito para melhorar a aparência.

Prevenção

A hereditariedade é um fator de risco importante para essas condições. Ou seja, é comum que pessoas de uma mesma família apresentem o edema palpebral. Mas, é possível adotar alguns preventivos.

  • Reduzir o consumo de sal e alimentos ricos em sódio
  • Dormir bem
  • Passar protetor solar nas pálpebras inferiores e na região facial
  • Usar óculos de sol sempre que estiver ao ar livre
  • Compressas de água fria podem ajudar a melhorar o aspecto de inchaço
  • Usar hidratantes para região palpebral

Tratamentos dermatológicos

Atualmente, há diversas tecnologias, principalmente as que usam laser, que promovem uma melhora significativa na aparência da bolsa malar e dos festoons.

“Muitas vezes, a pessoa quer uma solução imediata e acaba insistindo em tratamentos que não são os mais indicados para sua condição. A cirurgia plástica é definitiva, ou seja, quando mal indicada, pode piorar o quadro”, alerta a especialista.

“Por isso, é importante procurar profissionais especialistas em plástica ocular, bem como um dermatologista para se certificar que o tratamento é o mais indicado e seguro para um bom resultado”, finaliza Dra. Tatiana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *