Sete motivos para não desanimar no inverno e dicas para bom rendimento nos exercícios físicos

O inverno chegou e as noites parecem ficar mais longas, o ritmo circadiano do corpo sofre pequenas mudanças. Apesar do ciclo claro/escuro gerado pela rotação da Terra ser razoavelmente regular durante o ano todo, a duração do dia e da noite se altera com o passar das estações. Então não é só impressão, no inverno a fase clara do dia fica mais curta e isso, inevitavelmente, leva nosso corpo a ficar mais lento, mais preguiçoso, temos uma tendência em nos esconder, nos cobrir, “hibernar”. Ou seja, pôr-se em estado de inatividade ou dormir mais.

Mas como fica aquela rotina saudável que, por muitas vezes, damos ênfase no período do verão? Se exercitar não é fácil, até mesmo quem já tem esse hábito reluta em sair do conforto do lar quentinho para praticar seus exercícios diários ou semanais. Mas há alguns motivos para não desanimar e dicas para um bom rendimento nesse período. Acredite, é possível, há pelo menos sete motivos para não desanimar de sua rotina de exercícios.

A primeira dica é que os exercícios no inverno promovem maior queima de calorias. A fim de manter o equilíbrio da temperatura corporal, o organismo aumenta a queima de calorias devido ao aumento da taxa metabólica para manter o corpo aquecido, aumentando assim o gasto energético. Segunda dica é que, mantendo a rotina de treinos o ano todo, o corpo acostuma ao ritmo e se torna cada vez mais fácil permanecer com a saúde e/ou forma física em dia, ao contrário de quem pratica atividades físicas apenas no verão e interrompe no inverno. Aí o corpo tem sempre que recomeçar.

O terceiro motivo é que um corpo habituado com um ritmo de práticas físicas durante o ano todo não se excede – por pressa – nos resultados de retornar às condições físicas do “verão passado”. E essa pressa é bem conhecida dos excessos e aumenta as possibilidades de lesões. Outro ponto é que o inverno é mais propício às extravagâncias alimentares, nos damos o direito de comer mais e acabamos ingerindo alimentos mais calóricos. Dessa forma, ficar sem se exercitar potencializaria o armazenamento dessas calorias em forma de gordura no tecido adiposo durante todo esse período de tempo.

O quinto motivo é que a atividade física regular moderada é substancial para o aumento da resistência imunológica do organismo, também contribuindo para evitar gripes, resfriados e inúmeras situações de saúde que são mais propícias às baixas temperaturas. A sexta dica é que exercitar o corpo, além de modular a resposta e função imune, tem efeitos mediados por fatores hormonais acompanhados de uma variação dos níveis de substratos metabólicos. Eles oscilam de acordo com a intensidade e duração da atividade, o que faz com que nosso corpo responda melhor a diversas agressões que recebe diariamente como, num exemplo clássico, controlar os níveis de estresse. Por fim, o sétimo motivo é que o exercício físico está fortemente relacionado à produção de neurotransmissores como a serotonina e as endorfinas, substâncias moduladoras do bem-estar e da “estabilização afetiva”, reduzindo quadros de ansiedade e, até mesmo, quadros de dores corporais difusas.

Há ainda muitos outros motivos, pois os benefícios são inúmeros e todos apoiados na ciência. Porém, ainda assim, é preciso usar alguns “truques” para espantar a preguiça e não deixar de lado uma rotina de exercícios e um bom rendimento nesse período do ano. Então mesmo sabendo que o corpo irá aquecer e que talvez seja necessário retirar algum agasalho, dê preferência para roupas esportivas de tecido adequado, mangas longas e calças. Em algumas regiões mais frias é importante também utilizar luvas e gorro.

Valorize o aquecimento e o alongamento antes das práticas, pois no frio a musculatura mais contraída sofre risco maior de lesão. Aquecimento e alongamento são aliados de grande valor. Utilize esteiras, bicicletas e elípticos como complementos de sua estratégia de se manter em atividade. Não precisa ser sempre, porém às vezes é melhor do que deixar de fazer exercício por ser ao ar livre, não é mesmo? E eles podem ser úteis em dias chuvosos também.

O ritmo e o tempo de duração de sua atividade física podem ser indicados por profissionais habilitados, ou até mesmo definidos por você. Mas tenha em mente que, sem algum esforço, praticar atividade física não vai cumprir os objetivos esperados tanto de resultados quanto de melhora da forma física e da resistência cardiorrespiratória. Lembre-se que a hidratação é primordial já que a água compõe todas as células do nosso organismo e, ao exercitar-se, há uma perda inevitável de líquidos a partir do suor. A reposição e hidratação do corpo é essencial para todas as atividades metabólicas de todas as nossas células. E é altamente recomendável que um médico seja consultado, bem como outros profissionais habilitados façam seu acompanhamento. O inverno chega mas não pare, continue se movimentando e sinta os benefícios agora – e futuramente – em sua saúde, disposição e bem-estar.

 

(*) Profa Me Fernanda M. Cercal Eduardo, fisioterapeuta e mestre em Tecnologia em Saúde, é coordenadora do curso de Fisioterapia do Centro Universitário Internacional UNINTER 

Comece a digitar e pressione o Enter para buscar