Encosto estofado ou em tela – qual melhor para cada uso – Afina Menina – Um Portal para todas Nós

Encosto estofado ou em tela – qual melhor para cada uso

Consultor da Frisokar organizou dicas para encontrar o móvel mais confortável para cada necessidade

Seja para trabalhar, estudar ou jogar online, quem passa muito tempo sentado em uma cadeira sabe identificar ao final do dia se ela é boa ou não. Uma das peças mais importantes para proporcionar conforto é o encosto. O item é um dos que mais fazem a diferença no momento de decidir o material para compor o mobiliário. Para ajudar nessa escolha, a Frisokar convidou Paulo Cristiano Bonatelli, consultor técnico do FK Grupo, para indicar a cadeira perfeita.

Para Bonatelli, o encosto ideal precisa oferecer a sustentação adequada para tronco e lombar. Para isso, é fundamental que a cadeira tenha um ajuste de altura e a possibilidade de leve inclinação, recursos que servem para adequar a peça ao usuário e corrigir sua postura. “Cadeira é igual sapato, cada uma gosta de um tipo de conforto. Enquanto uns preferem estofados, por serem “fofinhos”, outros gostam do encosto em tela, que é mais indicado para uso em expedientes prolongados”, afirma.

Quais são os tipos de encosto?

“Os melhores são feitos em tela, estofados, resina – que podem ser de plásticos ou blendas -, fibras naturais ou derivados de madeira, além de ligas metálicas pintadas ou escovadas”, diz Bonatelli. Ele ainda destaca que os de derivados de madeiras são normalmente utilizados em cadeiras residenciais ou decorativas.

Para qual tipo de uso é indicado cada material?

Segundo o consultor, as telas foram desenvolvidas a partir de estudos que propunham um melhor conforto térmico e que fossem capazes de minimizar os pontos de pressão para usos prolongados. Já estofados podem ser utilizados em encostos de cadeiras utilizadas para o trabalho, por proporcionarem maior aconchego e conforto. Os fabricados em madeira e derivados são propostos em ambientes com intuito de promover melhor aconchego visual. Ligas metálicas e resinas rígidas são mais indicadas para uso em ambientes de alto tráfego, onde a peça é utilizada por muitas pessoas, porém por curtos períodos, ou ainda em espaços que necessitem de facilidade de limpeza (hospitais, terminais de passageiros e ambientes correlatos). Há ainda blendas plásticas, que podem ser alternativas às telas, se apresentando de maneira elástica.

 

Cadeira Zip possui opções em tela e em estofado para uso corporativo

Como escolher?

“Com relação à cadeira como equipamento de trabalho, é importante termos uma referência de postura adequada para esse fim. Porém, nosso corpo pode ser o melhor consultor de conforto. Sentar em uma cadeira deve ser tão confortável como nos sentimos bem ao vestir determinada roupa ou sapato”, afirma. Ele ainda lembra que a temperatura do ambiente também influencia, pois em locais com temperaturas mais baixa, a tela perde o atributo do conforto térmico, portanto em ambientes com essas características, os estofados podem ajudar a reter calor, trazendo melhor conforto térmico.

Segundo Bonatelli, as normas de mobiliário em si não costumam – com raras exceções – preconizar aspectos dos materiais de construção. Assim, a resistência e a durabilidade de matérias-primas como a tela, por exemplo, podem ser derivadas em função da necessidade de resistência que o encosto terá, pois, a literatura técnica não exigirá níveis de performance para a tela, por exemplo. “Óbvio que o fabricante, para atender às normas aplicáveis e ser reconhecido como fornecedor de produtos de qualidade, deve manter seus critérios de controle de características como perda de massa por fadiga, resistência à tração, abrasão ou rasgo, entre outros parâmetros”, lembra.

 

Em polipropileno, Connect é ideal para ambientes de uso coletivo

Existe algum tipo de apoio que pode ser adicionado ao encosto?

Bonatelli destaca que o ideal é optar por produtos projetados com acessórios para dar suporte a essas necessidades de apoio ou conforto, como encostos com ajuste da porção lombar, apoios de cabeça ajustáveis, entre outros recursos. Poltronas mais clássicas, expressivas, de encosto mais alto, demandam encostos estofados. Já um ambiente mais operacional, moderno e despojado, poderá ter uma poltrona de encosto alto telada, por exemplo. Ambientes mais lúdicos, explorando os conceitos de neuroarquitetura para um melhor conforto cognitivo-sensorial, por sua vez, explorarão elementos madeirados, texturas, revestimentos e estofados.

Quais os cuidados necessários para a manutenção do produto?

“De maneira geral, para não degradar precocemente os materiais dos assentos e encostos os cuidados devem ser: não usar abrasivos para limpeza dos materiais, seguir as recomendações de segurança de uso dos fabricantes e, exceto quando indicado pelo fabricante, não expor os materiais às intempéries”, completa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *