O poder do Ácido Hialurônico na harmonização facial – Afina Menina – Um Portal para todas Nós

O poder do Ácido Hialurônico na harmonização facial

Seguindo a ideia do famoso ditado “a primeira impressão é a que fica” aliado ainda com a frase de Tom Peters, que diz: “você nunca terá uma segunda chance de causar uma primeira boa impressão”, que devemos sempre pensar em nossa aparência. E erra quem pensa que isso é supérfluo, afinal ninguém gosta de passar a ideia de desleixo ou causar uma impressão ruim.

E é justamente isso que a Dra. Patrícia Giacomelli (CRO PR 30042), cirurgiã dentista especializada em harmonização facial com mais de 15 anos de experiência defende: “Não estamos mais buscando a beleza como algo supérfluo, mas a melhor aparência sempre e causar essa boa impressão. Engana-se quem busca um padrão de beleza – devemos sempre lembrar que o ideal de um procedimento é ser único e buscar o que fica bom para aquela pessoa. Cada raça, cada pessoa traz sua beleza, ela é única e é apenas isso que buscamos evidenciar em cada procedimento”, explica.

Poucos sabem, mas o ácido hialurônico é um ativo produzido naturalmente pelo corpo que possui propriedades hidratantes e estimulantes de colágeno. É encontrado no organismo, mas com o passar do tempo sua produção diminui, precisando ser reposto em formato de tratamento. Essa substância é a responsável por preencher os espaços entre as células e é bastante utilizada para redução de rugas e linhas de expressão. Além disso, é uma molécula capaz de reter alta quantidade de água, mantendo a pele hidratada, firme e lisa.

Importante dizer que é a partir dos 25 anos que ocorre a diminuição natural produzida pelo organismo e aí que podemos indicar os procedimentos “profiláticos”, ou seja, o cuidado em manter a pele sempre com aspecto natural. Após o início dessa perda natural, há a possibilidade de repor topicamente, por meio de dermocosméticos ou com preenchimento. Para quem optar pelo preenchimento facial, que é um procedimento não invasivo utilizado para dar volume à face, amenizar rugas ou corrigir o contorno de regiões específicas do rosto, bochechas, queixo e lábios com ácido hialurônico, deve buscar um profissional capacitado e de sua confiança para assim colher os melhores resultados.

O procedimento é indicado para harmonizar e amenizar os traços faciais, deixando assim o paciente com aspecto mais jovem, com uma pele mais macia e viçosa. “Não podemos pensar no tratamento como uma fórmula mágica da juventude, talvez seja por isso que algumas pessoas apresentam resultados tão negativos após o procedimento. O ideial é seguir cada contorno e evidenciar o que já é bonito por natureza, afinal tudo que é em excesso não é bonito”, comenta a profissional.

Importante pensar ainda no preenchimento facial como um procedimento estético de embelezamento e reestruturação da pele envelhecida e não como uma fonte inesgotável da juventude. “Afinal, não podemos esquecer que cada idade tem sua beleza e isso nem o procedimento invasivo consegue “apagar”, nossa beleza também está em nossas marcas do tempo e a ideia de buscar procedimentos estéticos é sempre pensando em melhorar o que já é bonito, dentro do limite da beleza e da idade”, diz. O envelhecimento é algo natural e certo, o que podemos e devemos buscar no ácido hialurônico é atenuar e preencher rugas, olheiras e sulcos – o bigode chinês é um dos mais conhecidos – além de melhorar o contorno facial e aumentar o volume dos lábios. Hábitos que se respeitados e com o profissional capacitado trarão ótimos resultados e uma pele sempre saudável e lógico o aspecto mais jovem e a beleza que todos buscam.

O ideial é uma reconsulta a cada 6 meses após a aplicação e reavaliar cada área, uma vez que o procedimento com o ácido hialurônico dura em média oito meses. Ainda assim, segundo a especialista, pode não haver necessidade de nova aplicação antes dos oito meses. “Devemos pensar que pode sobrar resíduo do ácido hialurônico ou do colágeno cuja produção é estimulada pelo ácido. Nada melhor do que um profissional de sua confiança fazer essa avaliação e juntos encontrarem o melhor tratamento”, explica.

Preenchedores injetáveis, feitos de substâncias como ácido hialurônico e colágeno, famosos por dar volume aos lábios ou preencher as tão temidas rugas, estão aumentando em popularidade em todo o mundo. Nos Estados Unidos, o número desses procedimentos passou de 1,8 milhão em 2010 para 2,6 milhões em 2016, de acordo com dados da Sociedade Americana de Cirurgiões Plásticos.

No Brasil não é diferente. Segundo o Censo 2016 da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), nos últimos dois anos, a procura por procedimentos estéticos não cirúrgicos, incluindo o preenchimento, aumentou 390%. E esses números crescem ano a ano. “Um dos fatores que sempre destaco é o conhecimento da biomecânica e do tônus muscular da face que um Ortodontista detém, e isso é um fator muito importante na hora de evitar dor nos procedimentos não invasivos e não cirúrgicos”, conta Patrícia.

Não existe uma regra, mas a partir dos 25 anos qualquer pessoa pode buscar como preventivo algum procedimento facial. “Homens e mulheres podem fazer qualquer procedimento, desde que respeitem as características específicas em cada rosto. É isso que irá garantir um bom resultado, não adianta buscar referências que talvez não combinem com a harmonia daquela pessoa. Devemos pensar sempre como uma busca por melhorar o que já temos de bonito e não uma mudança radical”, finaliza a profissional.

Lembramos que em tempos de restrições e pandemia, que os consultórios são espaços completamente estéreis e por isso altamente seguros para esse tipo de procedimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *