Como estão nossos relacionamentos com esta pandemia? – Afina Menina

Como estão nossos relacionamentos com esta pandemia?

Jocely Burda, coordenadora do curso de Psicologia da Estácio Curitiba

Já pensou em como andam seus relacionamentos neste momento de pandemia? Isso mesmo, como estão seus relacionamentos neste momento tão delicado que a humanidade vem enfrentando?
A regra é ficar em casa, mas nem por isso devemos nos isolar de nossos amigos e familiares, pois o fato de estarmos com restrições sociais faz com que reflitamos no carinho e no afeto que podemos dar e receber das pessoas.
As poucas vezes em que saímos às ruas, nos deparamos com outros seres humanos tomando os mesmos cuidados que nós e, que são necessários para o momento. Abrir nossos corações para este novo entendimento da realidade em que estamos passando, a realidade do medo, do desconhecido e do virtual, faz com que nos tornemos mais dispostos a abertos para explorar novos horizontes.
Percebendo a fragilidade da situação, deste momento de reclusão e de privacidades, também podemos parar e refletir em como está o relacionamento conosco mesmo, pois este vai dar suporte para o crescimento individual e consequentemente coletivo.
Importante não deixar que falte o contato com seu EU, com o outro e com a vida, para isso é necessário a doação, sim doação de um pouco de seu tempo, de seu carinho e acima de tudo de sua atenção, pois somente a doação faz com que cresçamos para o mundo e proporcionemos um mundo mais humanos, mais sadio e satisfatório para nós mesmos.
O contato já não é mais o mesmo, agora nos restringimos a olhar e não tocar. Chegamos próximos, mas mantemos um afastamento, muito necessário para a preservação e continuidade da humanidade.
Assim como a fragilidade deste momento, são nossas relações, pensando em manter a distancia e preservando o cuidado, mas nem por isso devemos perder o contato, contato esse que nos faz humanos, contato que nos faz entender que somos parte de um sistema e que precisamos viver com tantas diversidades, angustias e incertezas, mas nunca deixando a essência do ser humano, que é o cuidado com aquilo que nos faz ter a certeza que nossa estima precisa ser preservada e cuidada.
Já não abraçamos os amigos, já não beijamos nossos familiares, já não conversamos de perto, e mantemos uma distancia considerável para que possamos manter a nossa saúde e a saúde de quem amamos. Este novo mundo, novo normal, é estranho, mas necessário. Precisamos manter a distância.
Ah, nossos amigos, que saudades, saudades dos encantos de nossos encontros, e lembrando que a vida não vale nada se caminharmos sozinhos, se estivermos num vale onde a estrada estiver vazia e não nos conduza ao campo florido.
Isso tudo nos faz pensar em como tornar os nossos relacionamentos mais interessantes. Sim, esta é uma questão que nos remete a pensar na qualidade de nossos relacionamentos, na capacidade que temos de cativar e ser cativado, para que nosso dia a dia se torne mais leve, mais prazeroso e mais agradável.
Ao definirmos nossas amizades, e aqui não penso só em amizade, mas também no relacionamento afetivo e familiar, pois todos estes nos trazem benefícios, alegrias e diminuem nossos sofrimentos, fazendo brotar novos sentimentos.
Para que nos tornemos seres humanos melhores e se quisermos conservar nossas amizades, aqui vão algumas dicas que ajudará:
1- Seja sincero em seus relacionamentos.
2- Respeite as opiniões contrarias as suas, pois cada um tem uma forma de pensar.
3- Encontre os amigos, mesmo que virtualmente, é uma forma de manter o vínculo.
4- Eventualmente envie uma mensagem fazendo com que seja lembrados, não espere as datas comemorativas para isso.
5- Se algo não ficou claro na comunicação, melhor esclarecer diretamente com a pessoa.
Acredito que com estas dicas, você vai se tornar um ser humano melhor e também proporcionar o renascimento de algo ainda melhor em si mesmo, consequentemente percebendo e recebendo o melhor do outro.

Veja mais  Pacientes com asma grave têm nova opção de tratamento biológico aprovado pela Anvisa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *