Diminua o estresse em tempos de isolamento social

Especialista da Faculdade São Leopoldo Mandic lista ações que podem ser feitas neste período

O isolamento social foi uma das medidas mitigatórias adotadas pelas autoridades para combater a pandemia do coronavírus (Covid-19). Com a mudança na rotina das famílias e do ambiente profissional e as incertezas do momento, muitas pessoas viram os efeitos na saúde mental. Para o médico psiquiatra, coordenador da área de Saúde Mental do curso de Medicina da Faculdade São Leopoldo Mandic, Dr. Celso Garcia Junior, é possível amenizar os efeitos do período, seguindo algumas das dicas abaixo:

O que fazer no isolamento físico:

  • Siga as orientações das autoridades sanitárias;
  • Crie uma programação diária. Inclua uma hora de início, pausas e um tempo de término, como ocorre habitualmente;
  • Troque de roupa e evite trabalhar de pijama;
  • Evite ficar horas excessivas em frente das telas, como celular e tablet;
  • Organize, se possível, um espaço destinado ao trabalho mais reservado, separado do restante da casa. Não trabalhe na sua cama ou no sofá;
  • Limite-se com relação à exposição exagerada às notícias. Selecione fonte confiáveis e acesse-a uma ou duas vezes ao dia. Tome cuidado com notícias falsas e sensacionalistas
  • Agende encontros virtuais com amigos e familiares por meio de aplicativos de vídeo;
  • Se for o caso, mantenha seu envolvimento religioso, por exemplo assistindo às transmissões online;
  • Mantenha contato frequente à distância com as pessoas de quem gosta, sobretudo os mais idosos e aqueles que testaram positivo para Covid-19, utilizando os meios eletrônicos disponíveis;
  • Evite envolver-se em discussões no seu espaço de convivência, como condomínio. Prefira mais ouvir a falar.

Outra preocupação neste momento é em relação às crianças e como ajudá-las a compreender a situação. Segundo o Dr. Celso é preciso ser honesto e falar os fatos que estão acontecendo e tranquilizá-las de que estão seguras. Confira outras dicas do especialista:

Com as crianças:

  • Permita que as crianças falem sobre os seus sentimentos, preocupações e façam perguntas. Responda para elas de forma simples e objetivas, mantenha uma postura acolhedora e otimista;
  • Valide os seus sentimentos, reconhecendo que não há problema em sentir-se chateado ou com medo;
  • Ajude-as a controlar os seus sentimentos desagradáveis;
  • Defina um cronograma regular, semelhante ao que a criança tem habitualmente na escola, com momentos de aprendizagem, estudo e lazer;
  • Aproveite bem o tempo extra que passará ao lado das crianças durante essa fase. Esse tempo poderá ser lembrado no futuro como uma fase repleta de bons momentos;
  • Seja um bom exemplo para as crianças.

 

 

A Faculdade São Leopoldo Mandic disponibiliza em seu site uma área especial com informações sobre o coronavírus, com diversos dados e artigos internacionais. Acesso: slmandic.edu.br/tudo-sobre-coronavirus/

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *