Soroterapia: médico explica tratamento queridinho entre os famosos

Queridinha entre as famosas, a Soroterapia, também chamada de Soro da Beleza, é para quem quer desintoxicar o organismo, assim como prevenir doenças. O imunologista e endocrinologista João Marcello Branco explica como o procedimento funciona e quais são seus benefícios.

“A Soroterapia é baseada na medicina de precisão e individualizada, serve para pessoas refratárias e que precisam de uma agilidade melhor de algumas substâncias, vitaminas e alguns fármacos que não têm tanto efeito por administração oral. Então, ela é feita de forma venosa, em busca de uma velocidade terapêutica complementar mais eficaz”, disse o médico, que também é clínico geral e especialista em medicina desportiva.

De acordo com o Dr. João Marcello, pessoas que têm hipersensibilidade a alguns tipos de substâncias e pessoas que têm contraindicação formal sobre ajuste de dose de medicações venosas não podem aderir ao procedimento.

“O maior benefício é o sinergismo medicamentoso, uma complementação terapêutica de ação mais rápida para quem não consegue ter uma resposta com uma medicação via oral. A terapia dura no mínimo um mês, fazendo o soro, também no mínimo, uma vez por semana. Mas tem casos que podem ser feitos duas ou três vezes por semana. Isso vai depender de cada patologia e depende também da resposta terapêutica. Não existe um padrão de tempo ou dose. Doenças crônicas têm que ser tratadas de uma maneira mais a longo prazo e doenças agudas são tratadas mais rapidamente. A soroterapia é complementar ao diagnóstico e o tipo de doença que queremos melhorar”, explicou o médico, que acrescentou:

“O tempo de resultado é altamente relacionado com a gravidade da patologia, principalmente aquelas doenças que necessitam de algumas vitaminas, aminoácidos que compõem a estrutura do organismo. Quem tem lesões musculares, doenças neurológicas, depressão, o tempo de resposta costuma ser mais rápido”.

O Dr. João Marcello disse que não há nenhum dano a longo prazo desde que o tratamento seja feito de forma responsável. “O único dano que a pessoa pode ter é se for mal indicado ou mal individualizado. Porque cada um tem um tipo de terapia e qual doença você quer acompanhar fazendo a terapêutica. A doença melhorou ou curou, você tem como tirar o soro, você não vai fazer atoa. Se a pessoa fizer o uso extrapolativo, como qualquer medicação, vai ter efeito colateral”.

A DJ Taty Zatto é adepta a Soroterapia. “Comecei a fazer o tratamento em uma crise aguda de ansiedade. Meu médico, o Dr. João Marcello, achou conveniente que eu fizesse a Soroterapia até para conseguir um resultado mais rápido.  Foi ótimo e a partir daí comecei a usar para outros fins, como para pele e cabelo.

Comece a digitar e pressione o Enter para buscar