5 dicas para seu skincare não impactar sua saúde nem a natureza!

Sabemos que a cada dia é mais imprescindível que nossos hábitos de consumo sejam revistos para o bem do planeta e de todos. Sabemos também que o grande impacto ambiental está relacionado à produção das grandes indústrias, mas é possível, como consumidor, fazer trocas que ajudam o meio ambiente e pressionam as grandes marcas e governos a realizarem mudanças necessárias em seus produtos e serviços.

Listamos algumas mudanças simples e positivas que você pode realizar na sua rotina de skincare para deixá-la mais sustentável. “É uma mudança de longo prazo que envolve o consumidor, as marcas e os governos, ou seja, toda a sociedade precisa estar comprometida”, comenta Bianca Tavares, gerente geral da FOREO no Brasil.

Segue o fio!

1. Troque esfoliantes que tenham microplástico na composição por aqueles que usam ativos naturais como açúcar ou sementes em sua composição. Isso evita a contaminação do bioma marítimo e nossa própria exposição a esse tipo de contaminante.

2. Quando o assunto é produto natural, vale verificar se a marca usa ativos certificados, para garantir que a origem também respeita o meio ambiente e as pessoas que os produzem. Isso também vale para óleos essenciais e vegetais puros, que muitas vezes são apontados como opções naturais ao skincare tradicional.

3. Prefira limpeza facial que não use descartáveis como algodão ou lenços umedecidos. “O algodão, apesar de natural, tem uma produção extremamente contaminante, enquanto muitos lenços de limpeza são feitos de tecidos sintéticos e descartados sem nenhuma possibilidade de reciclagem”, explica Bianca Tavares, gerente geral da FOREO no Brasil.  Ao invés disso, prefira ecopads feitos de tecido ou escovas de limpeza, como a LUNA, da FOREO, que duram cerca de 10 anos antes de precisarem ser repostas!

4. Falando em limpeza, que tal substituir sabonetes que contenham sulfatos por outros menos contaminantes para a natureza e nosso corpo? O mesmo vale para parabenos, triclosan, silicones, oxibenzona e octinoxato – presentes em protetores solares – , que causam danos à vida marinha, como embranquecimento dos corais. Já existem no mercado opções sem esses compostos e vale pressionar as suas marcas favoritas para que façam a mudança.

5. Embalagens recicladas e recicláveis! É muito importante que uma embalagem use produtos reaproveitados, mas é essencial que a maneira que seja composta permita uma nova reciclagem. Muitas embalagens ditas ecológicas são associadas a plástico e não podem ser recicladas depois. Prefira aquelas feitas de um único componente, como alumínio ou papelão, que possa ser reciclada depois.

Para além dessas dicas, o mais importante é pensar “Eu preciso mesmo deste produto?” antes da compra, pois muitas vezes nos precipitamos e isso não faz bem nem pro planeta e nem pro nosso bolso. Será que precisamos mesmo de um armário cheio de creminhos? Fica a reflexão!

Comece a digitar e pressione o Enter para buscar