Maternidade e trabalho

por Cláudia Lisboa

Estão ai duas coisas que amo.

Amo ser mãe, amo meus filhos e amo meu trabalho. E como conciliá-las?

É preciso estabelecer prioridades. E é claro prioridade são os filhos. Mas muito do sustento deles depende também do meu trabalho, então como fazer?

Bem eu tenho o privilégio de poder na maioria do tempo determinar os meus horários de serviço, uma vez que sou profissional liberal. Algo que agradeço a Deus todos os dias, pois Ele preparou um trabalho que amo, que me proporciona recursos financeiros para minhas necessidades e no qual como disse em maior parte dele eu organizo meu tempo.

Para mim é extremamente importante poder acompanhar o crescimento dos meus filhos, levá-los à escola, atividades extras, consultas, etc. Estar próxima na hora dos deveres, mas confesso que na hora em que começam a enrolar perco a paciência rsrsrs, mas faz parte. E não abro mão disso, por mais que seja por um salário maior, estabilidade, etc. Se não puder estar próxima deles esquece não é pra mim. Mas como disse é um privilégio que tenho não só pelo trabalho que exerço hoje, mas também porque no meu caso meu esposo e o pai do meu filho mais velho são provedores de muito da necessidade deles.

Ao contrário sei que muitas mães tem uma rotina diária de trabalho pesada e não podem abrir mão de seu trabalho, neste caso, acho importante uma conversa sincera com os filhos mesmo que pequenos, da importância do seu trabalho bem como que este trabalho te faz feliz e assim você retorna pra casa mais realizada e completa para se dedicar a eles. Neste caso, não abra mão de ter um tempo diário com eles, saber como foi seu dia na escola, acompanhar as tarefas, isso fará como que as crianças se sintam valorizadas e que tudo o que se relaciona a elas tem importância.

Mas se você pode se dedicar mais a eles se dedique, este é meu conselho, mesmo que isto importante em menos recurso financeiros por um período, porque eles crescem rápido e a sensação de que deixamos de aproveitar cada minuto com eles não deve ser boa (porque de fato não sei, como disse eles vão crescer e nesse momento preciso aproveitar cada segundo e por isso não abro mão de sempre que possível estar próximo e participando de cada momento).

Outro fator importante é que não importa a estrutura financeira que é proporcionada primeiramente, mas é nossa presença, a afirmação de nosso amor por eles, de que são importantes é que farão com que se tornem adultos emocionalmente saudáveis, com identidade firmada, capazes de dizer não aquilo que vai contra os valores e princípios que você plantou na vida deles. Valores e princípios que passamos com uma convivência próxima na maior parte do tempo possível.

Mas como disse, se você não pode como eu estar em boa parte do tempo com eles não se culpe, procure no tempo em que pode dedicar a eles ressaltar seu amor por eles, relaxe um pouco e também não deixe que as tarefas do lar consumam todo seu tempo.

Há e o melhor conselho que posso dar peça ao Senhor sabedoria para cuidar dos seus filhos, pois precisamos de muita, e muitas vezes no impulso do dia a dia agimos sem sabedoria e de forma que podemos magoar muito nossos filhos.

 

Provérbios 3.11–12  11  Filho meu, não rejeites a disciplina do Senhor, nem te enfades da sua repreensão. 12  Porque o Senhor repreende a quem ama, assim como o pai, ao filho a quem quer bem.

Comece a digitar e pressione o Enter para buscar