A ginecologista e obstetra Dra. Carolina Curci fala sobre gestação de gêmeos, como se dá e suas implicações comparada à gestação de um único embrião

A descoberta de uma gravidez é um momento muito especial na vida de uma mulher, vem sempre acompanhado de um misto de sentimentos. Quando se descobre que essa gravidez é de dois ou mais bebes as emoções dobram e algumas dúvidas surgem.

A Dra. Carolina Curci, ginecologista e obstetra, especialista em reprodução humana, explica que a gravidez de gêmeos pode ocorrer de duas maneiras. A mais comum é mais de um óvulo ser liberado durante o ciclo, cada um ser fecundado por um espermatozoide, e todos implantarem e se desenvolverem no útero. Nesse caso, os gêmeos serão bivitelinos, trivitelinos ou mais. Eles não serão idênticos e podem ser de sexos diferentes. As placentas são diferentes e a gestação gemelar é também chamada de dicoriônica (duas placentas). A segunda maneira é quando um óvulo fecundado se divide, dando origem a dois ou mais embriões. Neste caso os bebês terão a mesma carga genética, o mesmo sexo e as mesmas características físicas. Esse tipo de gestação é de apenas uma placenta para os dois fetos, o que acaba gerando maiores riscos a gestação.

“Importante salientar que uso de medicamentos para estimular a ovulação pode fazer com que mais de um óvulo seja liberado no mesmo ciclo e, com isso, ocorrer à gravidez de gêmeos. A fertilização in vitro também tem mais chances de gestação gemelar, quando mais de um embrião é implantado no útero. Além disso, mulheres com mais de 35 anos têm maiores chances de liberar mais de um óvulo em um mesmo ciclo e de ter uma gravidez de gêmeos.” declara Dra. Carolina Curci.

Não há como saber se a gestação é de gêmeos, sem um diagnóstico preciso. As gestações de dois ou mais embriões na grande maioria das vezes são descoberta em exames de ultrassom. Mas temos alguns sintomas que podem indicar a gestação gemelar, são eles: enjoos matinais mais fortes e ganho muito rápido de peso e nível exagerado de HCG e maior sensibilidade mamária.

Alguns riscos envolvem esse período gestacional, quando falamos em gravidez de dois ou mais o maior risco é o parto prematuro: Os estudos apontam que metade das gestações gemelares o parto acontece antes da 37ª semana, e as chances aumentam quando há mais de dois bebês. A gravidez de gêmeos também tem um risco maior de pré-eclâmpsia, um aumento na pressão arterial da mulher, de diabetes gestacional e anemia.

Para finalizar a Dra. Carolina lembra que na gestação múltipla pode cursar uma divergência entre o crescimento dos bebês, por isso existe a necessidade de um acompanhamento mais de perto com exames de ultrassom, cuidados com a alimentação para que não haja ganho de peso excessivo, maior tempo de descanso para incentivar o crescimento dos fetos e reduzir o risco de complicações de parto prematuro e principalmente ser acompanhada do seu médico obstetra durante toda a gestação, seguindo corretamente as orientações dadas no pré natal e a qualquer sinal de desconforto, procurar ajuda médica.

Comece a digitar e pressione o Enter para buscar