Cinco mitos e verdades sobre a saúde bucal da gestante e do bebê

MAM Baby promoveu bate-papo sobre o pré-natal odontológico para orientar as mães sobre as melhores práticas com relação à saúde bucal

O pré-natal odontológico é uma importante etapa da rotina da mulher grávida. No próprio cartão da gestante, desenvolvido pela Agência Nacional de Saúde (ANS), há uma página inteira dedicada à consulta odontológica, o que atesta a importância do acompanhamento para prevenir, avaliar e tratar os quadros clínicos comuns no período.

Pensando nisso, a MAM Baby, marca especialista em bebês, realizou na segunda-feira (18/04), uma live sobre o tema com o odontopediatra Gabriel Politano e as fundadoras da página mamis da madrugada, que começou no Facebook e hoje é um grupo fechado com mais de 16 mil mães, Vanessa Abdo e Dani Zaccai. Na conversa, Aline Luz, mãe e colaboradora da MAM, apresentou algumas dúvidas enviadas por seguidores, que foram esclarecidas pelo dentista e comentadas pelas participantes.

Durante o bate-papo, diversos mitos acerca do cuidado oral da gestante e do bebê foram desfeitos e substituídos por dicas práticas e eficientes, para garantir a saúde bucal da família de maneira mais segura e eficaz. Por exemplo, a gestante pode, sim, fazer uso de anestesia para tratamentos bucais, desde que o dentista saiba como administrá-la corretamente e que o procedimento seja indispensável, como no caso de infecções. Outros mitos e verdades estão descritos abaixo, e o bate-papo completo está disponível neste link.

Pré-natal odontológico é apenas sobre a saúde da mãe

Mito. Há três principais focos a ser observados durante as  consultas: orientação à paciente sobre os cuidados com a saúde bucal; tratamento de possíveis desconfortos; e também orientações sobre cuidados com os dentinhos do bebê que vai nascer. Com o devido conhecimento, a mãe pode identificar, por exemplo, uma língua presa que atrapalhe a amamentação.

Existe período ideal para tratamentos odontológicos em gestantes?

Verdade. O odontopediatra comentou que o período ideal para qualquer procedimento odontológico é durante o segundo trimestre gestacional, que mescla uma maior segurança para o bebê e conforto para as mães, que não têm náuseas, como é comum ocorrer nos primeiros meses de gestação, nem estão com a barriga tão pesada, a ponto de sentir desconforto na cadeira do dentista.

No entanto, essa recomendação vale apenas para procedimentos eletivos. Se houver algum tipo de inflamação, o tratamento precisará ser realizado de imediato, já que bactérias têm o potencial de invadir até mesmo o líquido amniótico e a placenta.

O ideal é aprender todo o possível sobre a saúde bucal do bebê antes de ele nascer

Verdade. Logo após o nascimento da criança, a mãe já tem diversas preocupações imediatas, como a primeira ida ao pediatra e as vacinas necessárias. Por isso, o ideal é aproveitar o pré-natal odontológico para aprender as melhores práticas no cuidado oral da criança e, assim, programar a primeira visita ao dentista com tranquilidade e com o estabelecimento de uma rotina familiar.

Existe um período exato para os dentes dos bebês começarem a nascer?

Mito. O nascimento dos dentinhos pode variar muito de uma criança para outra, assim como o falar e o andar. Os dentes podem começar a nascer a partir dos 5 meses ou aparecer apenas quando a criança completar 1 ano e meio.

A gestante deve ir ao dentista assim que descobre que está grávida 

Mito. Em casos de gestação programada, é interessante que a mulher vá ao dentista antes mesmo de engravidar. Isso porque, caso haja necessidade de algum tratamento, ela poderá adiantar os procedimentos antes da gravidez e evitar intervenções mais demoradas e desconfortáveis durante a gestação.

No entanto, caso a gravidez ocorra de forma não programada, é importante que a gestante agende uma visita ao dentista ao longo do período. Isso porque nem todas as doenças são sintomáticas e é essencial investigar, checar e manter em dia a saúde bucal.

“A necessidade do acompanhamento odontológico parte de uma questão bem simples: é preciso que a gestante esteja com os dentes saudáveis, para que consiga se alimentar corretamente e evite qualquer déficit de vitaminas. Apesar disso, todo tratamento também deve ser avaliado pelo time de profissionais que a acompanha, como o ginecologista e o obstetra”, conclui Gabriel Politano.

Comece a digitar e pressione o Enter para buscar