Férias: destino na natureza melhora a saúde e bem-estar

Contato com a natureza favorece hábitos saudáveis, reduz o estresse e alia descanso e entretenimento. Turismo de bem-estar deve representar 18% do turismo global até 2022

A relação entre saúde, bem-estar e natureza é objeto de estudo em diferentes áreas do conhecimento. De maneira geral, há evidências científicas de que a maior conexão com a natureza pode oferecer inúmeros benefícios tanto para a dimensão física quanto para a saúde mental dos indivíduos. Tais experiências favorecem a realização de atividades físicas que ajudam a reduzir a pressão e o estresse; além de trazer tranquilidade, elevar as emoções positivas e aliar descanso e entretenimento.

“A natureza faz parte da nossa essência e, portanto, o contato com áreas verdes é fundamental para nossa saúde e bem-estar. É comprovado que esse tipo de experiência reduz níveis de estresse e depressão, melhora a imunidade, a qualidade do sono e estimula a criatividade”, afirma a gerente de Conservação da Natureza da Fundação Grupo Boticário e membro da Rede de Especialistas em Conservação da Natureza (RECN), Leide Takahashi.

O turismo de bem-estar é definido pelo Global Wellness Institute (GWI) como “viagens associadas à busca por manter ou melhorar o bem-estar pessoal”. A previsão é de que até 2022 o faturamento desse mercado chegue a US$ 919 bilhões, o que significa 18% de todo o turismo global. Serão mais de um bilhão de viagens individuais em todo o mundo.

Trilhas com crianças: Dicas de lugares na natureza

O contato com a natureza e o livre brincar são essenciais para o pleno desenvolvimento da infância saudável. O aumento da ansiedade e do déficit de atenção na infância são alguns dos impactos da vida nos grandes centros urbanos em crianças e adolescentes.

“A natureza é reconhecida e recomendada pelos pediatras e profissionais da área da saúde como forma de incentivar a adoção de hábitos salutares no cotidiano das famílias, como forma de contribuir para o desenvolvimento sadio e integral das múltiplas infâncias”, declara Laís Fleury, que também é membro da RECN. A infância, mesmo antes da pandemia, já sofria um certo confinamento, trazendo impactos negativos na saúde. É importante trazer luz a este tema e mostrar que as crianças e adolescentes precisam da natureza tanto quanto a natureza precisa deles para permanecer viva”.

Nem toda viagem de verão precisa seguir o tradicional roteiro sentido beira-mar. Para quem deseja fugir do trânsito intenso e da multidão de turistas, existem inúmeros roteiros distantes da folia.

Veja algumas opções de trilhas que podem ser feitas por crianças em diferentes partes do Brasil:

Trilha do Bauzinho, São Bento do Sapucaí (SP)

A trilha de mais ou menos 400 metros conduz a uma vista da cidade de São Bento do Sapucaí e de parte da Pedra do Baú. O local é ideal para contemplação e relaxamento. Durante a caminhada é possível avistar pequenos animais.

Floresta da Tijuca, Rio de Janeiro (RJ)

Com quase 100 trilhas ecológicas, o parque nacional contempla trilhas, cachoeiras, passeios e montanhas. O nível de dificuldade é baixo para as crianças tirarem de letra.

Reserva Natural Salto Morato, em Guaraqueçaba (PR)

A Reserva Natural Salto Morato é opção de tranquilidade em meio ao tumulto das férias de verão. Criada e mantida pela Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, é uma opção que oferece tranquilidade e contato com a natureza. O conceito da Trilha Infantil é propiciar uma experiência ao ar livre para ativar corpo e mente. Com um total de 600 metros, a ideia é que a criança, sempre acompanhada dos pais, crie a sua própria estratégia e consiga trabalhar sentidos, percepção, estratégia, força, equilíbrio, uso de braço e perna e noção de diferentes tipos de relevo. A trilha termina com um caminho sensorial para fazer descalço. O uso de máscara é obrigatório.

Dicas

Indica-se levar alimentos leves, de preferência com embalagens resistentes à água (barra de cereal, frutas e garrafa d’água), repelente, chapéu, blusa fina de manga comprida e calça leve para proteger dos mosquitos e do sol e roupa de banho de secagem rápida. O ideal é usar mochilas leves, que evitem o desgaste físico e permitam que as mãos estejam sempre livres. Botas fechadas de cano alto ou sapatilhas de polímero antiderrapante também são uma boa opção. É fundamental pesquisar sobre a trilha que pretende fazer e conferir horários e regras de funcionamento de cada local.

Confira alguns benefícios que o contato com a natureza traz à saúde das crianças:

– reduz sintomas de Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade e do estresse;

– melhora a nutrição: crianças que plantam seus próprios alimentos são mais propensas a comer frutas e vegetais, têm um conhecimento maior sobre nutrição e mais chances de manter hábitos alimentares saudáveis por toda a vida;

– estimula a atividade física: brincar em diferentes ambientes naturais as torna mais ativas fisicamente e mais cuidadosas com o outro;

– inspira momentos de concentração: proporciona a experiência do belo, aumenta o equilíbrio e a autorregulação em jovens que vivem na cidade;

– estimula os sentidos e a criatividade.

(fonte: projeto Criança e Natureza)

Comece a digitar e pressione o Enter para buscar