A arginina e os seus benefícios para práticas esportivas

Entenda como o aminoácido pode colaborar para um melhor desempenho físico

Entre os muitos aminoácidos produzidos pela Ajinomoto do Brasil, líder mundial na produção destes componentes, está a arginina, reconhecida por auxiliar na prática de atividades esportivas. Utilizada em suplementos alimentares de diversas formas, como pó para diluição, cápsulas, comprimidos, tabletes efervescentes e até em bebidas prontas, a arginina pode contribuir na melhora do desempenho físico por estimular a vasodilatação, por meio da produção e liberação do óxido nítrico, e também pode contribuir na redução da amônia no sangue – substância que pode levar à fadiga física e mental.

Entre os tipos de arginina produzidos pela Ajinomoto está a de grau alimentício que, assim como os outros aminoácidos produzidos pela companhia, é de origem não animal e possui um elevado grau de pureza. Além disso, o produto também apresenta características que facilitam a manipulação do pó, reduzindo dessa forma a perda de matéria-prima e propiciando o aumento da produtividade.

“A arginina pode contribuir de alguma forma em diversos tipos de atividade física. Ela pode melhorar, por exemplo, a qualidade do treinamento com pesos, tendo como resultado, ao longo do tempo, uma potencialização dos efeitos do treino com aumento de massa muscular e força contráctil. Além disso, a arginina pode reduzir danos oxidativos durante o exercício,  o que pode diminuir o risco de infecções, principalmente em exercícios de alta intensidade. Ela ainda pode aliviar a fadiga, devido à melhora do suprimento sanguíneo para o músculo e redução da concentração de amônia”, destaca a gerente de marketing da divisão AminoScience da Ajinomoto do Brasil, Tatiana Gargalaka.

O estudo Investigação dos efeitos da suplementação oral de arginina no aumento de força e massa muscular, publicado pela Revista Brasileira de Medicina do Esporte (Mar/Abr, 2007), submeteu 20 indivíduos do sexo masculino a oito semanas de treinamento com pesos, três vezes por semana. Os participantes foram divididos aleatoriamente em dois grupos: um grupo fez uso de 3g de L-arginina com vitamina C, e o outro grupo utilizou apenas vitamina C. Após o período, aqueles que consumiram a arginina apresentaram valores de peso corporal e massa magra maiores, percentual de gordura corporal menor e força de membros inferiores significantemente maior, enquanto o restante não mostrou diferenças significativas. Foi possível concluir, então, que a administração oral de arginina associada a um programa de treinamento com pesos realmente pode potencializar os estímulos do exercício ao nível da musculatura esquelética, proporcionando um aumento de força e massa muscular.

“Quando associada à cafeína, a arginina ainda pode ajudar a prolongar os seus efeitos estimulantes, dessa forma, prolongando o estado de alerta do corpo. Porém, assim como qualquer outro aminoácido ou suplemento, seu consumo deve ser feito sob orientação e indicação de médicos e nutricionistas”, reforça a executiva.

Comece a digitar e pressione o Enter para buscar