Presença dos pais durante hospitalização de prematuros é fundamental para o desenvolvimento do bebê

Pequeno Príncipe alerta para a importância desse acompanhamento durante todo o período em que a criança nascida antes da hora precisar de internação

No Brasil, 11,7% dos bebês nascidos são prematuros, segundo o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), ou seja, nascem antes da 37ª semana. Quando prematuros, os bebês vão completar seu desenvolvimento fora do útero da mãe e em Unidades de Terapia Intensiva Neonatal, por meio do acompanhamento de especialistas pediátricos. Os riscos da prematuridade são muitos, pois pode provocar alterações cardíacas, pulmonares, neurológicas e gastrointestinais.

A pediatra e neonatologista do maior hospital pediátrico exclusivamente pediátrico do país, Silmara Aparecida Possas, explica que a presença da mãe e do pai é essencial, porque além da parte afetiva, eles conseguem observar todo o atendimento prestado ao seu bebê. “Os pais do recém-nascido devem permanecer a maior parte do tempo com seu filho na UTI Neonatal para observarem todo o atendimento, progresso, dificuldades, e ações para a manutenção da vida. A presença também é fundamental para que participem das discussões com as equipes multiprofissionais sobre metas e o plano terapêutico dos filhos”, diz.

Durante o período de internação, é fundamental que as crianças tenham a presença em tempo integral dos seus pais para que esse desenvolvimento aconteça da melhor forma possível. Neste 17 de novembro, lembrado como Dia Mundial da Prematuridade, o Hospital Pequeno Príncipe alerta sobre a importância desse acompanhamento.

A médica também ressalta que essa presença dos pais durante o internamento do prematuro na UTI Neonatal é bastante positiva para o bebê e acelera o tempo de recuperação. “Nesse período de internação o vínculo entre a família é fortalecido. Os bebês que são acompanhados respondem positivamente aos estímulos dos pais, o que auxilia no amadurecimento e equilíbrio da vida da criança, além de acelerar sua recuperação”, completa.

Diversos fatores podem levar a acontecer um nascimento antes do tempo, como doenças maternas, alteração do colo uterino, infecções urinárias, hipertensão arterial e doenças sexualmente transmissíveis. Por isso é muito importante a realização do pré-natal, pois ele pode evitar o parto prematuro indicando riscos, sinais e sintomas de alerta que podem ser contornados clinicamente.

Pequeno Príncipe é referência no cuidado com bebês prematuros

A instituição conta com uma Unidade de Terapia Intensiva Neonatal que possui equipamentos de ponta e profissionais capacitados para o atendimento de recém-nascidos a termo ou prematuros que necessitam de cuidados intensivos e tratamentos diferenciados. A instituição recebe bebês que necessitam de intervenção cirúrgica, atendimento para diagnosticar doenças de alta complexidade ou com malformações neurológicas, renais, cardíacas, hepáticas, intestinais, hemato-oncológicas, imunológicas, oftalmológicas, otorrinolaringológicas, alterações de esqueleto e cutâneas.

No Pequeno Príncipe, o direito de a mãe e o pai acompanharem o bebê prematuro em tempo integral é assegurado. Além disso, todos os bebês atendidos na unidade também recebem vacinas de acordo com a idade durante a internação na UTI Neonatal, evitando, assim, que haja atraso na carteira nacional de vacinação. E todo esse atendimento e cuidado são feitos por uma equipe multiprofissional de forma humanizada, o que é essencial para o desenvolvimento dos bebês.

Comece a digitar e pressione o Enter para buscar