“Autoestima e autoconhecimento: quem é você para você?”

por Wallisten Passos Garcia

A autoestima tem relação com o sentimento que você tem pelo que você é. Significa como você se sente em relação a você mesmo. A boa autoestima é o sentimento que lembra você de suas qualidades, aquelas que você valoriza. A baixa autoestima é o sentimento de olhar para você mesmo e prender-se em seus defeitos ou limitações, naquilo que não te agrada. Por isso, para definir os sentimentos em relação a você é necessário fazer um questionamento: quem sou eu? Autoestima tem a ver com autoconhecimento, um processo difícil, porém necessário.

Pode haver épocas de descontentamento com você mesmo, momentos em que você gostaria de ser diferente ou mesmo de ser outra pessoa. Esse processo pode ser temporário ou pode ser frequente, se contínuo pode te levar ao adoecimento. Para ter uma boa autoestima você precisa reconhecer que tem qualidades e defeitos. Esconder-se nos ideais e nas ilusões de quem você acredita ser, ocultar-se naquilo que você não é, pode ser fonte de intensa frustração e decepção. Além disso, é sempre possível mudar para melhor se isso for favorecer a tua autoestima.

Esse reconhecimento de quem se é ocorre na relação com os outros, por isso, para ter um uma relação agradável consigo mesmo é necessário ter bons relacionamentos com as pessoas de seu convívio familiar e social. Sendo assim:

  • Trate o outro como você gostaria de ser tratado.
    Escute e compreenda os sentimentos dele.
    Ajude-o a se sentir melhor consigo mesmo.
    Ressalte as qualidades dele.
    Converse sobre as características negativas que ele tem para ajudá-lo a ser melhor, mas com empatia. Lembre-se, você também tem suas falhas!

Nem sempre os outros agirão desse modo com você. Às vezes, as pessoas podem dizer coisas não agradáveis, mas as palavras delas ao seu respeito não são aquilo que você é. Não deixe que isso transforme você em uma pessoa triste ou que te impeça de viver bem com as pessoas. Por isso:

  • Seja gentil e respeitoso com você mesmo, isso é o autocuidado!
    Reconheça as suas qualidades e valorize-as, potencializando o seu melhor!
    Reconheça seus defeitos e procure mudar, por amor a você mesmo e aos seus próximos. Não se limite aos seus defeitos, você pode sempre ser muito melhor do que é!
    Não se culpe se você não consegue mudar imediatamente, a mudança leva tempo e você está em processo de transformação. Não desista, persista!

Reflita sobre esses pontos não como simples dicas, mas como questões que te direcionem em busca do autoconhecimento. Se você se sentir sozinho nesse processo de construção da tua boa autoestima peça ajuda para aqueles que te amam e querem teu bem, tenho certeza de que você tem alguém que está disposto a te ajudar a ser melhor!

Wallisten Garcia, psicólogo, mestre em Psicologia e Doutor em Educação pela UFPR, especialista em Terapia Familiar, e professor da Estácio Curitiba

Comece a digitar e pressione o Enter para buscar