No Setembro Amarelo, executiva com transtorno bipolar libera e-book em campanha para o CVV e alerta para burnout na pandemia

A covid-19 trouxe consigo outra pandemia: o esgotamento mental. Pesquisa Instituto Ipsos encomendada pelo Fórum Econômico Mundial mostra que 53% dos brasileiros notaram uma piora no estado mental entre abril de 2020 e abril de 2021. Dyene Galantini, diretora global de marketing em uma das maiores empresas de informação do mundo, sabe bem o que é isso. Há 14 anos, ela teve burnout e foi diagnosticada com transtorno bipolar. Desde 2017, Dyene usa a própria história para propor o debate sobre saúde mental por meio do projeto Vencendo a Mente, que inclui palestras, plataforma online de informações e a autobiografia de Dyene sobre sua experiência com a bipolaridade.

Para apoiar a luta contra o suicídio, durante todo o mês de setembro – época da campanha Setembro Amarelo, de prevenção ao suicídio – Dyene irá disponibilizar gratuitamente o download do e-book “Vencendo a Mente – como uma executiva de sucesso superou o transtorno bipolar”. Como contrapartida, a autora pede que seja feita uma doação de qualquer valor ao CVV – Centro de Valorização da Vida, que tem ações gratuitas de prevenção ao suicídio. “O CVV desempenha um papel muito importante no acolhimento e na prevenção ao suicídio no país, diz Dyene.

Estudo da Universidade Federal da Bahia – UFBA mostra que a bipolaridade pode aumentar em até 23 vezes o risco de suicídio. E, de acordo com a Organização Mundial da Saúde, desde 2017 os brasileiros são o povo mais ansioso do mundo. “O estresse é um dos fatores que podem desencadear uma crise, por isso é preocupante que a rotina de home office e a pressão por produtividade estejam tão presentes no cotidiano brasileiro hoje”, diz Dyene.

Como alta executiva em uma grande empresa, Dyene lida com as metas e pressões naturais do trabalho – mas sempre atenta para não ultrapassar seus próprios limites. “A bipolaridade tem a fase de depressão e a de euforia, quando temos uma energia inesgotável. Sempre gostei muito de trabalhar, e para mim a mania se manifesta em uma dedicação sobrenatural ao trabalho. Isso já me levou ao burnout e abriu caminho para a depressão que me levou a um hospital psiquiátrico”, ela lembra.

“Hoje, sei que não me sobrecarregar é literalmente uma questão de vida ou morte. Presto muita atenção para não ultrapassar meus limites e faço o mesmo com minha equipe. As lideranças precisam entender o papel que desempenham na saúde de seus funcionários”, observa.

VENCENDO A MENTE: UM PROJETO CONTRA O ESTIGMA

Para fomentar a discussão sobre transtornos mentais e contribuir com a quebra de estigmas, Dyene Galantini lançou em 2017 o projeto Vencendo a Mente, que inclui autobiografia, plataforma online de informações, palestras e grupos de apoio.

Em setembro de 2020, Dyene pôde contar a sua história no TEDx, edição Rio do Sul (RS) e em novembro deste ano irá repetir a dose no TEDx Montes Claros (MG). Ela também já fez palestra junto ao SEBRAE e compartilhou sua perspectiva do transtorno em congressos de psiquiatria.

A autobiografia, disponível em e-book e cópia física, é o desdobramento de um diário terapêutico escrito quando Dyene estava internada em hospital psiquiátrico. A obra traz um relato honesto e sensível sobre a descoberta, tratamento e superação do transtorno bipolar.

SAÚDE MENTAL EM NÚMEROS

·         Cerca de 12% da população convive com algum transtorno mental, segundo a OMS;

·         53% dos brasileiros relatam piora do bem-estar mental entre 2020 e 2021, segundo pesquisa do Instituto Ipsos para o Banco Mundial;

·         Desde 2017, os brasileiros são o povo mais ansioso do mundo, de acordo com a OMS.

·         Cerca de 800 mil pessoas morrem por suicídio todos os anos no mundo, segundo a OMS.

·         O suicídio é a segunda principal causa de morte entre jovens com idade entre 15 e 29 anos, segundo a OMS.

·         79% dos suicídios no mundo ocorrem em países de baixa e média renda, segundo a OMS.

Comece a digitar e pressione o Enter para buscar