Cantar ajuda a diminuir ansiedade e estresse causados pela pandemia

Você já ouviu aquele ditado “Quem canta seus males espanta?”. Sim, isso é verdade. De acordo com pesquisadores, o ato de cantar relaxa, acalma e, portanto, ajuda no combate à ansiedade e ao estresse.

Durante a quarentena provocada pela pandemia da Covid-19, muitas pessoas sentiram um impacto na mudança brusca de rotina na vida pessoal e no trabalho. De acordo com a ONU, essas mudanças acabaram tendo repercussões na saúde mental.

Outro estudo, realizado pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), mostrou um aumento de 90% nos casos de depressão e de 50% nas crises de ansiedade e estresse.

Mas o professor de canto Marcio Markkx, mestre em Fonoaudiologia pela PUC-SP, diz que cantar é um dos caminhos para solucionar o problema. Segundo ele, além destes benefícios, a música pode aliviar dores, melhorar a memória e até estimular a prática de atividade física.

Cantar uma música que você gosta não é somente um entretenimento, ela ajuda na saúde do corpo e da mente. “A música funciona como um ‘remédio’ para vários problemas, pois ativa o centro de prazer do cérebro com a liberação de endorfina, o hormônio responsável pela sensação de euforia e prazer, e da oxitocina, conhecida como o hormônio do amor”, explica o professor.

Cantar melhora as sinapses e funções cognitivas do cérebro, trazendo mais lucidez e clareza. Com a música, podemos desenvolver também a empatia, a habilidade de comunicação e a capacidade de socialização.

Durante a pandemia, com as pessoas mais tensas, Márcio Markkx triplicou seu número de alunos em 2020. “Eu achei que a pandemia seria uma boa para reciclar e cantar mais para recarregar as baterias”, Kelci Martin, professora de canto que se matriculou no curso durante a pandemia.

Comece a digitar e pressione o Enter para buscar