Existe apenas uma atividade física que funciona e é a que você gosta de praticar

A tão almejada busca por um corpo perfeito e saúde plena não é uma tarefa simples. Mas, ao contrário do que determina o senso comum – se alimentar bem e praticar atividades mais intensas -, esses exercícios também não requerem um esforço sobrenatural para serem realizados. Segundo o personal trainer e educador físico Tauan Gomes, a chave do sucesso é organização, dedicação e tempo. Assim, o resultado será o melhor possível.

 

“Não adianta a pessoa fazer diversos exercícios em um dia, ficar exausto, e não conseguir dar sequência nos dias seguintes. Cansada e talvez com dores, ela não vai conseguir realizar outros exercícios depois e, naturalmente, vai ‘pegar mais leve’, pois não vai conseguir forçar como naquele momento”, disse o educador físico, que também acrescenta: “Agora, de forma regular, o resultado é outro. O nível de esforço será o mesmo todos os dias e ela conseguirá atingir plenamente o efeito aguardado de forma gradativa”.

 

Segundo um estudo da plataforma Google, as buscas por exercícios em casa cresceram duas vezes, além também do aumento no interesse por ciclismo (+144%) e natação (+230%), durante a pandemia. Em casa, cada indivíduo procurou sair do ócio de alguma maneira e tiraram um tempo para praticar atividades. No entanto, também no próprio conforto, é que a pessoa não consegue manter a constância nos treinos e para a prática matinal quando já não gostam mais dos exercícios que fazem.

E de onde surge o desânimo ? Rotina. Naturalmente, o nosso cotidiano sendo vivido da  mesma forma todos os dias, gera desgaste. Não é diferente nos exercícios físicos. É necessário sim, ter constância e regularidade, como dito pelo personal trainer, mas também é preciso realizar atividades que lhe dê prazer. “O ideal é que a pessoa encontre uma atividade que se sinta bem e que consiga levar por um bom período, pois o que vai trazer os resultados que ela deseja, é aquela que conseguirá levar por muitas semanas. Seja aeróbicas ou anaeróbicas, desde que haja um déficit calórico, porque o importante é ter um gasto maior do que o consumo.”, destaca o especialista.

 

Movimentando o corpo em casa – seja livre

O isolamento social trouxe complicações emocionais e uma válvula de escape para tratar os transtornos é se exercitando. Quando se pratica qualquer atividade física o nosso cérebro eleva as suas funções e libera mais neurotransmissores para a corrente sanguínea. Com isso, todos os hormônios relacionados às sensações de prazer, como a endorfina, a serotonina, a dopamina e a ocitocina, são potencializados no momento do exercício, trazendo prazer e motivação para superar os limites.

Para potencializar ainda mais a liberação desses neurotransmissores e elevar os treinos, é preciso ter o próprio cantinho personalizado, portanto “monte a sua própria academia em casa,  separe sua toalha, garrafa de água, roupa confortável. Faça também uma playlist motivadora e, se possível, tenha um espelho por perto para avaliar sua postura enquanto treina. Cuide também da organização do ambiente para evitar acidentes como escorregar, torção”, finalizou.

Comece a digitar e pressione o Enter para buscar