20 MIL VEZES UM CORAÇÃO AGRADECIDO por Patrícia Pavloski – Afina Menina – Um Portal para todas Nós

20 MIL VEZES UM CORAÇÃO AGRADECIDO por Patrícia Pavloski

Ser mãe é o que me faz crer no amanhã

Para ler ouvindo: O Sol – Vitor Kley

[sc_embed_player fileurl=”https://afinamenina.com.br/wp-content/uploads/2020/12/vitor-kley-o-sol-audio-oficial-vd.agenciadcp.jor_.br_.mp3″]

Este é o vigésimo texto para minha amada coluna Mãe com Wi-Fi aqui no Afina Menina. O último de 2020. Foram 20 semanas intensas, pandêmicas, quarentenadas. Sobretudo, superadas. Quando finalmente resolvi desabafar tudo aquilo que sinto e penso durante a rotina, jamais passou pela minha cabeça que eu pudesse ensinar algo. Pelo contrário. Hoje, estou aqui para contar a vocês que tô de cabeça feita por ter cumprido minha missão: dividir e aprender. Pra agora agradecer!

 Tão somente.

 Como havia dito na primeira publicação, em meados de agosto, me desafiei a falar sobre ser mãe de criança pequena e em fase de alfabetização tendo como pano de fundo uma pandemia global e o isolamento social. Isso sem parecer tola ou cair na redundância. Ou, acabar fazendo pior: bancar a conselheira e sair elaborando conceitos e métodos em tom de especialista. Talvez eu não tenha feito nada disso por pura incompetência mesmo, por simplesmente não ter solução instantânea pra nada quando o assunto é viver e criar outro ser humano simultaneamente. Mais do que errar e aprender, estou experimentando a maternidade em níveis estratosféricos.

Até a última víscera.

Tem dias que subo no pódio, não sem antes capotar e comer poeira na maioria das vezes. Só que sempre volto pra pista com mais energia. Da jornada – louca e leve, cansativa e recompensadora, triste e o motivo de toda felicidade – que eu mesma escolhi com consciência, algo é unanimidade: nenhum outro caminho escolhido seria tão difícil e tão certo pra mim. Tão absurdamente repleto de amor. Aquela menina que um dia vislumbrou o futuro com fone no ouvido quis que algo a transformasse.

Renasci ao parir.

Se por um lado não tenho fórmulas mágicas, de uma coisa tenho certeza: encontrei meu lugar ao sol no ápice de dar à luz. Atravessei esse portal convicta do que queria e abuso do poder que a natureza generosamente me deu e continua proporcionando ao longo do tempo. Praticamente sem rede de apoio, embarquei com pouca bagagem, mas muita vontade, na trip mais linda, desejada, cheia de aventuras, desafios, perigos e incertezas da vida.

Amo ser mãe.

Se agora estou aqui, juntando a habilidade jornalística com a sensibilidade que venho adquirindo ao longo da existência, muitas experiências poderiam (e podem) ser tema para uma coluna. No meu caso, não tinha como ser diferente. Eu precisava estar aqui contando que de todos os clichês possíveis e imagináveis, o meu preferido é aquele no qual uma mulher diz ao mundo que sua força vem de um sorriso com janelinhas e com a incrível capacidade de iluminar tudo e todos ao seu redor.

Há algo sublime na infância que ainda faz com que acreditem em nós, adultos. Senão o asteróide já tinha vindo. Termino 2020 decidida a continuar firme e forte no propósito de formar uma pessoa e um cidadão melhor para este planeta caótico. Eis minha contribuição – quem sabe até com upgrade, me aguardem.

Até ano que vem! 

 

Importante
Os textos de nossos colunistas não refletem necessariamente a opinião do Portal Afina Menina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *