A experiência de meditar em Machu Picchu é uma das coisas mais importantes que já fiz em viagem – Afina Menina

A experiência de meditar em Machu Picchu é uma das coisas mais importantes que já fiz em viagem

Para estrear com o pé direito a minha participação como colunista no Afina Menina eu não podia deixar de começar falando de umas das viagens mais inesquecíveis que já tive o prazer de fazer, eu estou falando de Machu Picchu, no Peru. 

Um local fantástico, o sentimento de pisar naquelas montanhas é de renovação com tamanha energia que emana do local. Algumas culturas acreditam que a cidade perdida de Machu Picchu é um dos pontos chacras da terra. E digo, cidade perdida, porque ficou, literalmente, perdida durante quase 500 anos. 

Existem vestígios de vida em Machu Picchu até o ano de 1493 e depois disso ela foi redescoberta somente em 1911 por uma expedição norte americana no local. Até hoje o que aconteceu com o povo Inca que vivia ali é um mistério. 

Algumas correntes falam em uma peste ter devastado toda a civilização, outras chegam a dizer que todos foram abduzidos por alienígenas, o que aconteceu ou não, não sei! O importante é que aquelas pedras, milimetricamente encaixadas, estão lá, para provar que alguém já viveu ali.

Chegar em Machu Picchu é um desafio. Existem 3 maneiras, todas partindo de Cuzco, cidade muito linda e toda mergulhada na cultura Inca, que contatei sobre ela em outro dia. O primeiro modo, mais tradicional e mais caro, é com o famoso trem de luxo. O custo é meio salgado, pode chegar de 140 dólares até mais de 900 dólares. Os vagões, todos de vidro, te dão uma experiência de ver 360 graus o caminho até o vale sagrado. 

O segundo modo, mais povão, e o que na época eu consegui bancar, é conseguir o transporte de van até lá, geralmente é cobrado 30 dólares, em uma estrada emocionante, com milhões de curvas e desfiladeiros, uma emoção garantida por 8 horas. 

Veja mais  Carência X Amor: psicóloga explica como identificar essa diferença

E o terceiro modo é ir a pé de Cuzco até Machu Picchu, essa aventura, mais roots, dura 6 dias, você contrata guias locais em Cuzco que te levam até lá com o auxílios de mulas e lhamas, é a experiência mais Inca possível, pois você dorme em vilarejos, passa por águas termais, e vive o cotidiano Inca na pele por esses dias.

Todos esses 3 modos te levam até a cidade de Águas Calientes, que fica aos pés da montanha de Machu Picchu. O próprio nome já diz tudo, a cidade conta com águas termais, e é toda feita em sua maioria de pedra, um local muito lindo. Lá o turista passa a noite para na manhã seguinte subir o vale sagrado. É necessário contratar um guia local, e então, se preparar para sentir muita emoção.

Pisar no vale é surreal, saber que há muito tempo, construíram aquela cidade, no topo da montanha, é assustador. O encaixe das pedras das construções é milimetricamente perfeito. Existem muitas construções diferentes lá em cima. 

As que mais chamam a atenção é templo dos animais. Cultuavam a cobra para os mortos, o puma para os vivos e a águia para os Deuses e nesse local era feito oferendas, algumas, acreditem, de vidas humanas. Os Incas tinham como Machu Picchu a sua cidade sagrada e já sabiam, muito tempo atrás, na força que as pedras têm. 

O local que mais me chamou a atenção lá foi à pedra do poder. Quase no limite da cidade, existe uma pedra que para eles é sagrada. Ao chegar próximo se vê muitas pessoas a tocando. E não é que a danada te dá um choque ao encostar!!! Não sei por qual motivo, mas o poder realmente ali é muito perceptivo.

Veja mais  O home office e as dores na coluna

A experiência de meditar em Machu Picchu é uma das coisas mais importantes que já fiz em viagem. Como diriam os espiritualizados, é transcendental. Se você acredita ou não em algo maior, lá no vale sagrado sua espiritualidade aflora de um jeito sem igual. 

Por alguns minutos fechei meus olhos e tive diversas visões, e não pensem aqui que fumei algo estragado ou tomei um chazinho estranho, NADA, o local é energia pura, e é muito fácil, ali, do alto da montanha, você ter algumas experiências consigo, ou até se compreender melhor. No meu caso, desci da montanha e terminei um namoro tóxico que vivia, ali mesmo, de tão forte o que experimentei.

Ou seja, está precisando daquele empurrãozinho? Machu Picchu é logo ali, na América do Sul, país vizinho ao nosso e com muita cultura a oferecer. Em vez de querer viver algo incrível tão longe, pesquise e aproveite o que temos pertinho de nós.

Gostou de conhecer um pouco mais dessa mega aventura? Quer conhecer mais as minhas viagens, siga meus canais, Youtube, Instagram e Facebook, todos com o nome Viajemais.tv. Te espero lá, até breve!

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *