As mulheres e o Sexo na quarentena: Rede social para troca de vídeos íntimos registra recorde de crescimento na audiência feminina – Afina Menina

As mulheres e o Sexo na quarentena: Rede social para troca de vídeos íntimos registra recorde de crescimento na audiência feminina

As mulheres e o Sexo na quarentena

Rede social para troca de vídeos íntimos registra recorde de crescimento na audiência feminina

 

A segunda quinzena de março ficou marcada para a história do Brasil como os dias em que o País parou. Já são duas semanas de isolamento social, com apenas serviços essenciais em funcionamento. E foi nesse cenário de pandemia de coronavírus, que o Sexlog, a maior rede social adulta do País, registrou um aumento de 15% do número de novas assinaturas.

As mulheres parecem estar aproveitando o período de isolamento social para curtir a rede social e tudo o que ela proporciona. “Tivemos um aumento muito significativo de cadastros do público feminino, estamos recebendo 20% a mais de mulheres todos os dias. O que é muito positivo, é um sinal de que elas estão se sentindo livres para curtir o prazer mesmo diante de uma crise”, comenta  diretora de marketing do Sexlog, Mayumi Sato.

Até o momento, já são mais de 12,5 milhões de contas criadas no site que permite que seus frequentadores troquem mensagens picantes, nudes, vídeos e façam livecam com conteúdo adulto e sem censura. “O aumento no número de cadastros gratuitos também cresceu 10%, mas o impacto maior é no número de assinantes, o que significa que as pessoas estão dispostas a pagar para ter acesso ilimitado ao conteúdo, poder se comunicar e se exibir”, diz  Mayumi Sato.

Veja mais  O Equilíbrio Corporal em risco

Diferente de outras redes sociais, o Sexlog gera entretenimento sem bombardear seus frequentadores com notícias que geram ainda mais ansiedade. “O público realmente se diverte e os nudes não são censurados. Estamos promovendo, também, ações temáticas, como concursos, sorteios e lives patrocinadas especiais para que a plataforma seja o lugar ideal para curar o tédio e lidar com aquele tesão reprimido”, comenta a diretora.

 

Nova rotina, novos hábitos

Antes da quarentena, os picos de acesso na rede social eram sempre segunda e terça-feira, a partir da meia-noite. Agora, com a maioria do País em isolamento social, comércios fechados, sem permissão para aglomerações e festas proibidas, os picos estão começando mais cedo, às 22h e se estendendo até a 1h da manhã. “Os domingos, que antes não eram tão movimentados, passaram a ter mais 22% acessos, comparados aos anteriores”, conta Mayumi.

Desde 15 de março, a equipe do Sexlog registrou um aumento de 30% no número de fotos e vídeos publicados por dia, o que representa, em média, 13.500 fotos e 850 vídeos, no período de 24 horas.

Veja mais  Hormônio antimülleriano auxilia mulheres que querem engravidar

E se os encontros e festinhas estão proibidos por enquanto, o exibicionismo está liberado, já que a distância não há risco nenhum. “As livecams aumentaram em 60% em comparação a períodos anteriores. Agora temos 75%  a mais de mulheres e 80% a mais de casais, tanto assistindo quanto se exibindo”, finaliza a diretora.

O Sexlog lançou, recentemente, um e-book com dicas para quem quer evitar o tédio na quarentena e curtir o momento para dar asas ao prazer. Você pode baixá-lo gratuitamente aqui: https://bit.ly/2U79zAs . No canal do Sexlog no Youtube, também há diversos conteúdos para quem quer saber tudo sobre sexo liberal: bit.ly/YtSexlog.

 

Sobre o Sexlog

O Sexlog.com é a maior rede social de sexo do Brasil, com mais de 12 milhões de usuários cadastrados. São milhares de fotos e vídeos reais publicados por dia, todos com conteúdo amador. Trocas de mensagens, convites para encontros e divulgação de eventos também fazem parte da rede, que visa proporcionar prazer para pessoas solteiras e casadas que buscam novidades na cama.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *