Luz UV-C ajuda clínicas odontológicas no combate ao coronavírus – Afina Menina

Luz UV-C ajuda clínicas odontológicas no combate ao coronavírus

Já usada em meios de transporte da China e EUA, tecnologia começa a ser inserida no Brasil

Estamos prestes a completar seis meses de pandemia no Brasil e desde então, diversos estudos e pesquisas foram feitos não somente para descobrir uma vacina da doença, mas também, novas formas de se combater e prevenir sua contaminação. As lâmpadas UV-C por exemplo, foram inseridas nesse contexto, utilizadas inicialmente na China, instaladas nos transportes-público, hoje já em fase de testes nos Estados Unidos e com suas primeiras aparições no Brasil.

Hoje, já é possível encontrar essa tecnologia em grandes centros cirúrgicos, hospitais e na Clínica Jacaré de odontologia. Devido a quantidade de germes e bactérias em que esses ambientes são expostos, a higienização e a atenção no combate da Covid-19 devem ser redobradas.

Mas se engana quem pensa que é simples. Dra. Rose de Pietro, odontopediatra e fundadora da clínica, conta que vem acompanhando desde dezembro de 2019, todas as medidas que estão sendo tomadas ao redor do mundo para que o vírus seja combatido. Ela ressalta que apesar de novo, é uma medida que traz segurança e tranquilidade para que os tratamentos sejam realizados com sucesso.

Veja mais  Saiba o que muda com a suspensão do green card emitido pelos Estados Unidos

“Esta tecnologia que estamos aplicando na Clínica Jacaré, não é apenas para esse período de pandemia, mas um complemento no protocolo rígido que utilizamos desde o início da clínica, onde mantemos o protocolo original (limpeza dos equipamentos, chão e bancadas com álcool 70%, autolavagem de todos os materiais e uso de todos os EPI’s). É uma tecnologia que nos ajudará a higienizar e combater diversas bactérias, fungos e germes suspensos no ar, complementando o atual protocolo de higienização e esterilização dos ambientes da clínica. Além disso, o procedimento é feito com total segurança não só nos consultórios, mas também na sala de esterilização dos equipamentos, além de um rígido protocolo de monitoramento e supervisão da sua utilização que requer uma série de cuidados especiais” explica a Dra. Roselaine.

Veja mais  Yoga para corredores: veja os benefícios e aprenda 3 posturas essenciais

“Com a emissão da luz UVC pelas lâmpadas próximas ao teto, todos os ambientes e equipamentos presentes no local são esterilizados em um processo que dura em torno de dez minutos. Essa esterilização é feita pois a luz provoca uma ruptura no RNA e DNA dos micro-organismos, causando 99% de chances de sua eliminação”, conclui a odontopediatra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *